ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Tolerância de cultivares de Brachiaria brizantha ao alagamento

POR PATRICIA MENEZES SANTOS

E MARCO A. A. BALSALOBRE

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 15/08/2008

2 MIN DE LEITURA

19
0
A escolha correta do capim é essencial para garantir a perenidade e a sustentabilidade do pasto. As espécies forrageiras e seus cultivares apresentam níveis distintos de tolerância aos fatores bióticos e abióticos de estresse. A caracterização da resposta do capim aos fatores de estresse e o levantamento das características edafoclimáticas da propriedade auxilia técnicos e produtores a escolher de forma correta a espécie forrageira para a formação do pasto.

Caetano & Dias-Filho (2008) desenvolveram um experimento para avaliar o efeito do alagamento sobre o desenvolvimento de diferentes tipos de Brachiaria brizantha (os cultivares comerciais capim-marandu, capim-piatã e capim-arapoty e os acessos B163 e B166) e de um tipo de Brachiaria ruziziensis (acesso R124). O experimento foi desenvolvido em casa-de-vegetação na Embrapa Amazônia Oriental. Os vasos foram inundados 20 dias após o plantio de forma a manter uma lâmina d'água de 3 cm acima do nível do solo. Foram avaliados a taxa de alongamento foliar; a biomassa de folhas, raízes e colmos e suas relações; o número de perfilhos; a taxa fotossintética líquida, a condutância estomática e a taxa de transpiração. O desenvolvimento das plantas sob condições de alagamento foi comparado àquele de plantas cultivadas em vasos bem drenados e irrigados de acordo com a necessidade de água.

A taxa de alongamento foliar de todos os acessos foi reduzida pelo alagamento (Caetano & Dias-Filho, 2008). Os autores observaram que o alagamento reduziu a produção de biomassa de folhas em todos os acessos, com exceção do capim-piatã; já a produção de biomassa de raízes foi menor apenas no capim-marandu e na B. ruziziensis R124 quando sob condições alagadas (Figuras 1 e 2).

Figura 1. Biomassa de folhas de (A) capim-piatã, (B) capim-arapoty, (C) Brachiaria brizantha B163, (D) Brachiaria brizantha B166, (E) capim-marandu, (F) Brachiaria ruziziensis R124 em condições com e sem alagamento. Asterisco acima da coluna indica diferenças estatística entre as condições com e sem alagamento para determinado acesso


Figura 2. Biomassa de raízes de (A) capim-piatã, (B) capim-arapoty, (C) Brachiaria brizantha B163, (D) Brachiaria brizantha B166, (E) capim-marandu, (F) Brachiaria ruziziensis R124 em condições com e sem alagamento. Asterisco acima da coluna indica diferenças estatística entre as condições com e sem alagamento para determinado acesso


Caetano e Dias-Filho (2008) concluíram que o capim-arapoty é o mais tolerante ao alagamento, seguido pelo capim-piatã e pelos acessos B163 e B166 de Brachiaria brizantha. A Brachiaria ruziziensis R124 e o capim-marandu foram os mais afetados pelo alagamento.

Comentários:

Conhecer a resposta das plantas aos fatores abióticos de estresse é fundamental no momento da escolha do capim. O trabalho de Caetano & Dias-Filho (2008) mostra que o capim-arapoty e o capim-piatã são mais tolerantes ao alagamento que o capim-marandu.

A síndrome da morte do capim-marandu, que vem assustando técnicos e produtores nas regiões Norte e Centro-Oeste do país, é atribuída por muitos à má drenagem e, consequentemente, alagamento do solo. De acordo com os resultados apresentados por Caetano e Dias-Filho (2008), o capim-arapoty e o capim-piatã são mais indicados para o plantio nestas áreas que o capim-marandu. Apesar dos dados apresentados nas Figuras 1 e 2 mostrarem uma maior produção de biomassa do capim-marandu que dos demais capins nas condições de alagamento, é importante observar a queda que ocorre no seu desenvolvimento quando em condições alagadas (comparar o capim-marandu nos dois gráficos de cada figura).

A grande redução na produção de biomassa do capim-marandu em condições alagadas indica que ele não tolera este tipo de estresse, o que certamente reduz suas chances de sobrevivência em ambientes sujeitos a períodos de alagamento, mesmo que temporários.

19

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ROBERTO BIANCO

NOVA PRATA DO IGUAÇU - PARANÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 10/12/2019

Brachiaria brizantha mg5 e boa para vacas leiteira.
ROBERTO BIANCO

NOVA PRATA DO IGUAÇU - PARANÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 10/12/2019

Brachiaria brizantha mg5 e bom para vacas leiteiras. Posso postar com profundidade de 4 cm ?
WALDO ANDRADE DE MATOS

SANTA RITA - MARANHÃO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 14/08/2012

É lamentável que até hoje ainda não desenvolveram uma forrageira capaz de se muitiplicar por sementes e ser tolerante ao alagamento. No Maranhão existe uma grande extensão de área que poderia ser incorporada ao processo produtivo se tal forrageira fosse descoberta.
JORGE CARLOS

PARAIBA - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 05/06/2012

Qual o tipo de capim que deve planta em terra alagada pelo operiodo de até 5 meses, para gado de leite.

Ficarei muito grato quem puder me ajudar.

Obrigado.
CLÁUDIO OLEGÁRIO MARQUES

CAMPO GRANDE - MATO GROSSO DO SUL - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 27/05/2010

Oi Patricia, gostaria também de saber informações técnicas da semente do capim Arapoti, sua semente apresenta uma dormência elevada??? Estou localizado em Campo Grande/MS, no laboratório nunca recebi semente de tal espécie para análisar e na região só ouço ser recomendado para solos enxarcado(Brachiaria Humidicola cv. LLanero) e alagados(Brachiaria Humidicola cv. Humidicola) onde essas cultivares tem os preços de compra muito altos.

Abraços,
Cláudio Olegário
Laboratório Seminal Análise de Sementes

<b>Resposta da autora:</b>

Prezado Cláudio,
Não tenho experiência com este cultivar. Sugiro que você entre em
contato com a Embrapa Gado de Corte, em Campo Grande, responsável pelo
seu desenvolvimento.
Att
Patricia Santos
Embrapa Pecuária Sudeste
ANTÔNIO ARAÚJO SALGADO FILHO

ANDRELÂNDIA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 25/05/2009

Olá Patricia, estou querendo fazer uma pastagem em area semi umida. Queria mais informações sobre o capim arapoti, seu cultivo e onde encontra-lo, pois nunca havia visto falar sobre ele antes.

Serei grato pelas informações.
FRANCISCO MARQUES BITENCOURT

GLORINHA - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

EM 06/10/2008

Há uma área de 5 ha em que foi plantada com mandioca durante 3 anos e com gado leiteiro em cima sem rotação.
Nota-se que há um início de degradação, com vazios e pequeno indício de erosão.

A terra é de coxilha e arenosa, e chuvas são frequentes e fica entre a Capital POA e o litoral.
Como posso acelerar a recuperação da pastagem e rotacionar com pecuária de corte?
BRUNNO BORSOI BARROS

MARABÁ - PARÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 06/10/2008

Olá,

Gostei muito da matéria apresentada por vocês, acredito, que a mesma, vem elucidar o problema da morte do marandu, que a cada dia vem nos assombrando aqui no sul do Pará.

Como foi apresentado no estudo do pesquisador Dias-Filho a forrageira que apresentou melhor tolerância ao alagamento foi o capim Arapoty e o Piatã.

O capim piatã já conheço, e até tenho plantado, porém, gostaria de mais informações sobre o capim arapoty que até então nunca ouvir falar. Como é a sua propagação? Qual é seu gênero?

Serei muito grato pelas informações.

Obrigado!
ANDREW JONES

FERNANDÓPOLIS - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 11/09/2008

Qual seria uma boa opção para área no extremo sul do Rio Grande do Sul, terras de arroz, mal drenadas e sujeitas a geadas no inverno e período alagado, sendo que este capim seria manejado no verão e deveria sobreviver ao inverno, quando planto azevem e rebrotar no verão.

obrigado pela atenção
PATRICIA MENEZES SANTOS

OUTRO - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 10/09/2008

Prezado Hélio,

Acredito que os resultados apresentados no artigo possam lhe ajudar. De acordo com os dados apresentados, o capim-arapoty e o capim-piatã são boas opções para situações de alagamento temporário.
Atenciosamente,

Patricia Santos
Embrapa Pecuária Sudeste
PATRICIA MENEZES SANTOS

OUTRO - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 10/09/2008

Prezado Joel,

O maior problema em áreas de varzea é a sobrevivência do capim. Nem todos os tipos de capim toleram períodos prolongados de alagamento. Algumas opções são: o capim-angola, capim-tangola; capim-braquiária-humidícola; e capim-hemártria.

Atenciosamente,

Patricia Santos
Embrapa pecuária Sudeste
PATRICIA MENEZES SANTOS

OUTRO - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 10/09/2008

Prezado Hélio,

Para áreas irrigadas temos dado preferência aos capins de elevado potencial de produção como, por exemplo, aqueles do gênero Panicum (capim-mombaça, capim-tanzânia, etc.). É importante lembrar, no entanto, que a escolha do capim deve levar em consideração também aspectos de manejo e fertilidade do solo... este capins, de modo geral, são bastante exigentes tanto em manejo quanto em fertilidade do solo.

Atenciosamente,

Patricia Santos
Embrapa Pecuária Sudeste
MOACIR MAY

NOVA CANAÃ DO NORTE - MATO GROSSO - PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

EM 23/08/2008

Tenho brizantha em áreas alagada. Vou introduzir Dictyoneura e Massai.

Vamos ver se vai dar certo.
MOZART LÚCIO COSTA

BOM DESPACHO - MINAS GERAIS - REVENDA DE PRODUTOS AGROPECUÁRIOS

EM 23/08/2008

Tenho um propriedade rural no Municipio de Martinho Campos, onde contém muitas baixadas de terras bem fértil, algumas áreas de varzeas com um pouco de umidade no periodo seco e com inundações rápidas no período chuvoso.

Quero indicação de capins que poderia estar instalando nestas áreas; tem mudas de tifton, este seria indicado? Como ele se comportaria?

Aguardo auxilio de vocês.

Abraço.
HELIO PORFIRIO GUIMARÃES

VILA VELHA - ESPÍRITO SANTO - INSTITUIÇÕES GOVERNAMENTAIS

EM 21/08/2008

Quando se trata de instalação de pastagens este é sem dúvida um dos pontos que mais se deve questionar, a escolha da graminea.

Estou implantando um sistema rotacionado no nordeste de Minas Gerais, no municipio de Nanuque, em uma baixada constantemente úmida e que por vezes, após chuvas fortes alaga em partes, permanecendo por um periodo de até cinco dias. Como pretendo aproveitar bem a área, pois trata-se de solos férteis e planos, quero uma lotação mínima de 8 UA/Ha.

Inicialmente, tinha decidido pelo capim mombaça, mas como não resiste a solos mal drenados, em consulta à literatura estou decidindo pelo MG-5 Vitória.

Gostaria de receber uma melhor orientação, tanto dos autores desta matéria, como também, testemunho dos leitores que tenham algum tipo de experiência com este capim. Dentre as informações gostaria de saber se há outra variedade ou espécie mais indicada.

Atenciosamente.
DIEGO FRANCISCO OLIVEIRA COELHO

JOÃO PESSOA - PARAIBA - ESTUDANTE

EM 20/08/2008

A Braquiaria decumbens vem sendo bem utilizada na pastagem para animais leiteiros.
Você pode ter mais informações sobre ela, ou ainda sobre outros, facilmente no site da embrapa.
Abraços.
JOEL MARTINES DE OLIVEIRA

OUTRO - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 20/08/2008

Em várzea, qual a graminea mais indicada e produtiva?
HELIO BRITO SANDES

JEQUIÉ - BAHIA - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 19/08/2008

Tenho uma propriedade na região da caatinga, em uma area irrigada. Qual o sugestão de capim para pastagem nos piquetes.

Abraços.
Hélio Sandes
THIAGO S. AGUIAR

MONTENEGRO - RONDÔNIA

EM 18/08/2008

Essa é uma matéria muito relevante aos pecuáristas do norte no Brasil, pois, como é sabido a morte do capim marandu vem devastando grandes áreas. E o pesquisador mais atuante que temos nessa área de conhecimento é sem dúvida o Dias Filho.

Como o próprio autor afirma em seu livro "recuperação de pastagens" a única saida é a escolha de espécies resistentes.
MilkPoint AgriPoint