FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Laticínio Capril Rancho juntou chocolate com boursin no Minas Láctea

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 27/07/2017

1 MIN DE LEITURA

0
0
Único laticínio de leite de cabra premiado no Minas Láctea, o laticínio Capril Rancho das Vertentes, com sede em Barbacena, na região Central de Minas, conquistou o terceiro lugar na categoria destaque especial. O produto apresentado, o bombom com recheio de boursin de cabra, foi desenvolvido em parceria com a Mirian Rocha Chocolates, do Rio de Janeiro. Na edição anterior, o Rancho conquistou o primeiro lugar da categoria com o cheesecake de leite de cabra e geleia de morango.

De acordo com o sócio do Capril Rancho da Vertentes, Edson da Costa Cardoso, o bombom está em fase de apresentação para o mercado e as expectativas são positivas. Os produtos do laticínio são comercializados, principalmente, em São Paulo, Rio de Janeiro, Tiradentes e Campinas.



“Estamos distribuindo o produto para importantes pontos de venda no Rio de Janeiro. Acreditamos que, por ser um bombom gelado, inovador e próprio para harmonizar com vinhos, a aceitação será boa”, disse Cardoso.

Por dia, são processados cerca de 100 litros de leite de cabra no Rancho das Vertentes. O rebanho é composto por cerca de 120 cabras. A linha de produtos inclui o queijo de leite cru de cabra Terruá das Vertentes, Terruá Faixa de Carvão e o Terruá Imperial, queijo que pesa cerca de 5 quilos e tem maturação de 2 meses a 3 meses. Também são produzidos cheesecake, queijo boursin e frescal de cabra.

Cardoso destaca que a demanda pelos produtos de leite de cabra é crescente, mas a atividade precisa de mais apoio para se desenvolver em Minas Gerais.

“O apoio que se tem na produção do leite de vaca, a gente não tem na parte do queijo de cabra. Não temos apoio das federações, dos sindicatos e nem dos governantes municipais e estaduais de Minas, mesmo sendo um dos únicos do País a produzir queijos de leite cru de cabra. O reconhecimento do nosso trabalho é grande em outros estados, como o Rio de Janeiro e São Paulo, por exemplo, onde conseguimos participar de importantes eventos e, em Minas Gerais, não somos reconhecidos e não somos convidados a participar de eventos voltados para o queijo”, disse Cardoso.

As informações são do Diário do Comércio. 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint