FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Isso é uma vergonha!!!

POR MARCELLO DE MOURA CAMPOS FILHO

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 19/05/2015

4 MIN DE LEITURA

10
0
 Isso é uma vergonha!!!

Mais um caso de fraude no Rio Grande do Sul, o Estado campeão das fraudes no leite. As frequentes fraudes no leite nesse estado tem um reflexo muito grande no preço aos produtores da região sudeste, pois esse estado tem a safra em época diferente da safra no sudeste e exporta leite para essa região.

Dessa vez foi pega a Transportadora Odair, onde o leite apreendido tinha adição de água, sal, açúcar, amido e soro de leite ( quem forneceu esse soro para a transportadora?).

A transportadora entregava o leite para a COPASUL – Cooperativa de Pequenos Agropecuaristas de Campinas do Sul. Curioso é que essa cooperativa de pequenos produtores vendia leite “regularmente” para indústrias grandes como a Cootal ( Taquara ), Lactalis ( fazenda Vila Nova ), Lativale ( responsável pela marca Tangará em Estrela ), Piracanjuba ( Santa Catarina ), Tambinho ( Erechim 0 e Frizzo ( Planalto ).

A Cooperativa Aurora informou que não recebeu e não industrializou leite da COPASUL de Campinas do Sul, como erroneamente tinha sido anunciado. A Tangará informou que suas plantas industriais contam com a fiscalização do MAPA, tem rígido controle de qualidade e o elite só é liberado após as analises previstas na legislação. A Lactalis que comprou a Fazenda Vila Nova informou que garante a qualidade de todos os seus produtos através de rigoroso controle da matéria prima. A Piracanjuba informou que recebeu apenas uma pequena parte do leite comercializado pela COPASUL.

Afinal, quem recebeu e industrializou esse leite? Para empresas que receberam e industrializaram leite da COPASUL fica difícil acreditar no “rigoroso” controle de qualidade que alegam.

O fato é que o tempo passa, o tempo voa e a fraude no leite, principalmente no Rio Grande do Sul, continua numa boa. Isso é uma Vergonha!!!

Mas tem mais, o MAPA exonerou o Superintendente da Agricultura no Rio Grande do Sul, cumprindo ordem judicial da 11ª vara federal de Porto Alegre, por suspeita de participação em esquema de fraude, propinas, remoção fiscais federais muito rigorosos e interferência no andamento da Operação Leite Compensado do Ministério Público Estadual.

A seção do Sindicato Nacional dos Fiscais Federais no Rio Grande do Sul já tinha alertado ao MP em 2013 sobre a interferência do Superintendente na atividade de fiscalização.

Parece que o leite está inserido no gigantesco esquema de corrupção e propinas que assola o País. Isso é uma vergonha !!!

Já sugeri que para acabar com a farra da fraude no leite é preciso colocar essa fraude como crime hediondo. Não estou inventando a roda: as frequentes fraudes nos fármacos só acabaram quando essa fraude foi colocada como crime hediondo. Essa sugestão apresentada nas Câmaras Setoriais do Leite do MAPA e da Secretaria de Agricultura de São Paulo, e foram rejeitadas por unanimidade sem uma ampla discussão da proposta. A falta da fraude no leite ser enquadrada como crime hediondo se torna mais grave quando um grande número de fiscais federais está para se aposentar e a difícil situação do País e do Governo desembocam em redução dos recursos no orçamento do Governo, que já eram escassos ( Para 2015 se fala que o corte no orçamento do MAPA pode chegar a 30% ). Com todo esse quadro é duro entender a relutância que existe na cadeia produtiva em tornar a fraude no leite crime hediondo, amplamente justificável pelo prejuízo que essa fraude acarreta no desenvovimento físico e neurológico do jovem e na saúde do idoso.. Isso é uma vergonha!!!

O leite UHT tem hoje cerca de 92% do leite fluido e o preço do produto, principalmente nas frequentes “promoções”, é incompatível a realidade atual dos custos de produção das indústrias e dos produtores de leite. Esse baixo preço do leite UHT pode ser o catalizador das frequentes fraudes no leite e deveria ser investigado pelo MP. Afinal não basta combater a fraude, mas é necessário combater a fraude no leite.

Se for investigado e constado que realmente o baixo preço do leite UHT, principalmente nas “promoções”, não é fruto de manipulação ( de se ter induzido no consumidor que o leite de “caixinha” é um produto barato ), mas da lei de oferta e procura, temos que reconhecer que o elite UHT é um produto fora do poder aquisitivo de grande parte do consumidor brasileiro não sendo razoável ter 92% do mercado do leite flúido e a indústria deveria trabalhar melhor o leite pasteurizado, em termos de qualidade e de embalagem, para aumentar sua participação no mercado e ser uma alternativa para o consumo de leite fluido pelos consumidores.

No entanto a indústria está deixando morrer o leite pasteurizado e, com auxilio do MAPA, querendo eliminar o leite tipo B, que através dos anos o consumidor identificou como o melhor leite pasteurizado produzido pela indústria ( O leite tipo A é industrializado em granjas leiteiras e tem custo de produção elevado ). Isso é uma vergonha!!!

Marcello de Moura Campos Filho

MARCELLO DE MOURA CAMPOS FILHO

Membro da Aplec (Associação dos Produtores de Leite do Centro Sul Paulista )
Presidente da Associação dos Técnicos e Produtores de Leite do Estado de São Paulo - Leite São Paulo

10

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MARCELLO DE MOURA CAMPOS FILHO

CAMPINAS - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 01/06/2015

Prezado Nivio Miranda Rolim

Agradeço o comentário.

mas não é fácil produzir leite em São Paulo onde o Governo do Estado tem dado apoio à indústria ( continua a segunda do País ) e pouco aos produtores ( caímos da segunda posição para a sexta ). E isso está levando indústrias e cooperativas de outros estados a se instalar aqui para se beneficiar da ajuda do Governo de São Paulo para importar mais leite dos produtores desses estados. Os produtores paulistas deve ficar atentos ao que está acontecendo e através de políticos de sua relação levar o assunto ao Governador, pois isso poderá fazer São Paulo cair ainda mais no ranking da produção de leite nacional.

Veja que o projeto de aumento de competitividade do MAPA, que usará dinheiro do MAPA nos próximos 4 anos, São Paulo foi excluído ( Só os 5 Estados maiores produtores foram incluídos ). O Governo de São Paulo deveria tentar conversar com a Ministra Katia Abreu e tentar reverter esse quadro que é prejudicial à pecuária de leite paulista, ou injetar recursos do Governo do Estado de São Paulo para melhorar a competitividade de pecuária de leite de São Paulo.

Abraço

Marcello de Moura Campos Filho
NIVIO MIRANDA ROLIM

BASTOS - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 01/06/2015

Pelo q vejo pessoas tentando por debaixo do tapete a sujeira. O próprio ministério publico do RS tem falado q as fraudes contínua. Não temos visto fraude com tanta freqüência fora do RS. Eu sou produtor se eu fosse governador de um estado leite do RS não entraria nesse estado.
MARCELLO DE MOURA CAMPOS FILHO

CAMPINAS - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 31/05/2015

Prezado Henrique Valle

Agradeço o comentário

Embora a fraude venha ocorrendo com maior frequência no RS, de fato não é privilégio desse Estado, ocorre em todo lugar do Brasil e em todo lugar o consumidor sofre o efeito da adulteração do leite, principalmente em, São Paulo, que consome cerca de 30% dos lácteos produzidos no País.

Da fiscalização no futuro próximo pouco podemos esperar pois grande parte dos fiscais do MAPA estão para se aposentar e a situação econômica no País limita a verba do MAPA ou de organismos estaduais, além da fiscalização, como tudo nesse Brasil está sujeita à praga da corrupção. Veja que no RS parece que acontecia, inclusive envolvendo o superintendente do MAPA.

No meu ver a única medida eficaz que pode ser tomada, e que não custa nada para o País, é colocar a fraude no leite como crime hediondo, que inibiria a prática frequente dessa fraude, pois dentro na nossa legislação é a única forma de fugir da "moleza" dos crimes econômicos e assegurar que os culpados cumprirão rigorosamente a pena que merecem dentro da cadeia. E não estou inventando a roda: a frequente fraude nos fármacos só acabou quando foi colocada como crime hediondo.

A minha sugestão é que os produtores mandassem uma carta para a indústria para a qual fornecem o leite, consultando se elas estariam de acordo com colocar a fraude no leite como crime hediondo, e caso não concorde, explique por que.

Seria interessante colocar as respostas em sites que os produtores acessem e em revistas especializadas para que possamos saber o posicionamento das indústrias com relação a essas propostas. Transparência é necessária na cadeia produtiva do leite para que as organizações criminosas não se escondam atrás das indústrias sérias que acredito serem maioria.

Abraço

Marcello de Moura Campos Filho
HENRIQUE VALLE

POMPÉU - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 30/05/2015

Fraude não é um "privilégio" do RS....devemos sim cobrar mais rigor na fiscalização e também na punição dos envolvidos nessas fraudes.
MARCELLO DE MOURA CAMPOS FILHO

CAMPINAS - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 27/05/2015

Prezado Paulo Cesar Centenaro

Agradeço o seu comentário que me permite as seguintes colocações:

1) no meu entender alta de sensatez é a fraude no leite permanecer nesse pais por tanto tempo e com elevada frequência;

2) embora eu possa não concordar com uma opinião eu defendo o direito de qualquer pessoa manifesta-la livremente;

3) o cerceamento da livre manifestação é própria dos regimes totalitários e não de uma democracia que é o caso do nosso País;

4) Não cercear a livre manifestação é um dos motivos da importância do site Milk Point para o setor leiteiro nacional.

Abraço

Marcello de Moura Campos Filho
PAULO CESAR CENTENARO

IJUÍ - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 27/05/2015

lamentavel que um site de tamanha importancia como milkpoint publique artigos sem previa analise de opinioes sensatas.
MARCELLO DE MOURA CAMPOS FILHO

CAMPINAS - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 27/05/2015

Prezado Paulo Cesar Centenaro

Agradeço o comentário.

Eu não sabia que o RS é o Estado que tem a maior fiscalização sobre a produção, transporte, envaze e comercialização, mas veja que, apesar disso, é o Estado onde tem ocorrido fraudes no leite com maior frequência.

Isso só reforça a minha colocação de que é necessário colocar a fraude no leite como crime hediondo como medida para coibir essas fraudes, como aconteceu com oa fármacos. No meu entender é uma vergonha que a indústria e o Governo não tenham agido ainda nesse sentido.

Abraço

Marcello de Moura Campos Filho
PAULO CESAR CENTENARO

IJUÍ - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 27/05/2015

o senhor esqueçeu apenas de citar que o RS é o estado que possui a maior fiscalizaçao sobre a produçao, transporte, envaze e comercializaçao. Quando todo o territorio brasileiro possuir semelhante fiscalizaçao o senhor poderá entao proclamar seus comentarios de forma correta.
MARCELLO DE MOURA CAMPOS FILHO

CAMPINAS - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 19/05/2015

Prezado Nivio Miranda Rolim

Agradeço o comentário.

Concordo com você, o Governo de São Paulo deveria, dentro do que a legislação permitir, fazer algum tipo de restrição à entrada de leite do Rio Grande do Sul proveniente de empresas que estiverem envolvidas em fraude no leite, no sentido de proteger os consumidores e os produtores de leite paulistas.

No entanto é difícil esperar alguma ação nesse sentido de um Governo que assistiu nos últimos 10 anos, sem nenhuma ação, o Estado de São Paulo passar de segundo produtor nacional de leite para a sexta posição.

Abraço

Marcello de Moura Campos Filho
NIVIO MIRANDA ROLIM

BASTOS - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 19/05/2015

O estado de são Paulo o governador deveria proibir a entrada de leite do rio grande do sul
MilkPoint AgriPoint