ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Dados da estação meteorológica determinam se os bovinos estão sendo criados sob estresse por calor?

VÁRIOS AUTORES

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 29/11/2016

2 MIN DE LEITURA

12
0

O gado leiteiro pode sofrer um forte estresse térmico em ambientes com altas temperaturas e umidade elevada. Neste caso, são inevitáveis os efeitos negativos sobre a ingestão de matéria seca, bem-estar, saúde, produção leiteira e reprodução e, consequentemente, na rentabilidade. Assim, é importante uma melhor compreensão dos produtores sobre as condições ambientais e o estresse por calor.

Para avaliar a intensidade do estresse por calor é importante combinar dados de temperatura ambiente e umidade do ar. Para isso, pode-se calcular o Índice de Temperatura e Umidade (ITU). Em vacas leiteiras de alta produção, como a raça Holandesa, o valor “68” é o limite superior de ITU para caracterizar conforto térmico, sendo que valores acima de 72 são críticos para esses animais (SILVA et al., 2016).

Dito isto, é importante ressaltar que, além dos fatores climáticos, o ambiente na propriedade é determinado por uma série de elementos. Dentre eles, o número e a densidade de vacas, o sombreamento, o tipo de refrigeração, a orientação da instalação em relação ao sol, predominância dos ventos, a presença de vegetação em torno, a altura, a largura e o tipo de cobertura da instalação (SHOCK et al., 2016).

Neste contexto, a temperatura e a umidade podem ser medidas na propriedade por um equipamento chamado termohigrômetro (fig. 1), encontrado facilmente no varejo (NEVES et al., 2015). Este instrumento deve ser colocado na sombra, em área bem ventilada e protegido das chuvas, próximo aos locais de maior permanência dos animais, como a sala de ordenha e área de lazer. Os dados de temperatura e umidade também podem ser obtidos em estações meteorológicas próximas da fazenda.

Figura 1: Imagem de um termohigrômetro. 


termohigrômetro
Recentemente, no Canadá, dados de estações meteorológicas foram comparados com os obtidos em 48 propriedades leiteiras. Os resultados mostraram que os dados do ambiente térmico nas fazendas foram significativamente maiores em relação àquelas das estações meteorológicas (SHOCK et al., 2016). Portanto, as medidas do microclima na fazenda expressam a real condição térmica que os animais estão expostos, devendo ser priorizadas para o cálculo do ITU.

Visto a preferência das vacas por locais mais frescos, ressaltamos que a ventilação desempenha um papel significativo na diminuição dos extremos ambientais. Quando for observado ITU acima de 68, deve-se planejar uma infraestrutura que possibilite a movimentação do ar com o uso de ventiladores ou a combinação de ventiladores e nebulizadores ou aspersores.

Outra estratégia de redução dos efeitos maléficos do estresse por calor é a utilização de sombreamento natural e/ou artificial, levando em consideração a área ideal de sombra de 4-5m2/animal (SULLIVAN et al., 2014).

Referências bibliográficas

NEVES, G. A. R.; NOGUEIRA, J. S.; BIUDES, M. S.; ARRUDA, P. H. Z.; MARQUES, J. B.; PALÁCIOS, R. S. Desenvolvimento e Calibração de um Termohigrômetro para uso em Pesquisas de Micrometeorologia, Agrometeorologia e Clima. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 8, n. 1, p. 136-143, 2015.

SHOCK, D. A.; LEBLANC, S. J.; LESLIE KE, H. K.; GODKIN, M. A.; COE, J. B.; KELTON, D. F. Studying the relationship between on-farm environmental conditions and local meteorological station data during the summer. Journal of Dairy Science, v. 99, n. 3, p. 2169-2179, 2016.

SILVA, B. C.M.; PIRES, M. D. F. Á.; MARQUES, L. C. G.; PORTO, B. R.; CARVALHO JUNIOR, I. S. Comportamento diurno de vacas Holandesas puras por cruza em ambiente quente. Caderno de Ciências Agrárias, v. 8, n. 1, p. 40-56, 2016.

SULLIVAN, M. L.; CAWDELL-SMITH, A. J.; MADER, T. L.; GAUGHAN, J. B. Effect of shade area on performance and welfare of short-fed feedlot cattle. Journal of Animal Science, v. 89, n. 9, p. 2911-2925, 2014.
 

MARA REGINA BUENO DE MATTOS NASCIMENTO

LUCAS VILELA PERRONI SILVA

12

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ALEXANDRE MALTA REZENDE ME

RECIFE - PERNAMBUCO

EM 07/12/2016

Muito boa matéria, Como calcula este índice
RICARDO LUIZ DORE

LONDRINA - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 06/12/2016

Obrigado Mara.



Sim toda sua informação confere com a nossa realidade, qdo fiz este exemplo era até para confirmar que, como é dificil ser  eficiente com vacas de alta produção no Brasil de uma forma geral, eu mesmo tenho cliente que produz 31 l de media, mas isto acontece apenas em um pequeno espaço de tempo,porque conseguir este ITU 68  usando todos estes artificios que vc mencionou para adequar o conforto termico e que mesmo assim é extremamente dificil comseguir.
MARA

UBERLÂNDIA - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 06/12/2016

Bom Dia Ricardo,



Primeiramente é importante dizer que o ITU de 68 é para vacas da raça Holandesa que são altas produtoras de leite (acima de 30 kg em média). Então, vacas leiteiras mestiças, rebanho importante no Brasil, teriam um valor limiar de ITU de 72, conforme Maria de Fátima Ávila. As raças Jersey e Parda Suíça também teriam um valor limiar de ITU superior a 68. Outra coisa, seria que durante um dia há variação da temperatura e umidade. Portanto, a vaca seria submetida ao estresse por calor cíclico. Assim, é importante prover sombra natural ou artificial, água em quantidade e qualidade, manejar os animais nas horas mais frescas do dia, entre outros. Para animais confinados, preocupar com o material de cobertura, ou seja, telhas que refletem mais a radiação solar e absorve menos, proporcionar boa ventilação, nebulizadores ligados nas horas mais quentes do dia para reduzir a temperatura do ar; aspersores para auxiliar na maior dissipação e calor, entre outros. A sala de espera também deve ser bem ventilada e com temperaturas dentro do conforto térmico. O estresse por calor além de prejudicar a produção, pode piorar a eficiência reprodutiva.

Qualquer dúvida estou a disposição,

obrigada



Profa. Mara
RICARDO LUIZ DORE

LONDRINA - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 05/12/2016

Imaginando uma situação local de: TA =18   e  UR= 40% , oque pra Brasil é pouco possivel, só assim teriamos ITU= 68.



Concluimos que 90% do território teria stress térmico,



Oque vc acha Mara ?
PATRICIA KELLY

UBERLÂNDIA - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 05/12/2016

Boa tarde, Lucinao Martins Redu!



O ITU diário com dados oriundos nas propriedades tendia a ser uma unidade maior do que aqueles da estação meteorológica oficial mais próxima. Além disso, os autores também perceberam que os valores do ITU diários a partir da fazenda foram superiores a 68 (limiar de estresse térmico para vacas leiteiras em lactação) 1,5 vezes a mais em relação aos valores de ITU obtidos com dados da estação.



Abraços,



Patrícia.
LUCIANO MARTINS REDU

ENCANTADO - RIO GRANDE DO SUL - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 03/12/2016

boa noite!!

gostaria de saber ,o quanto a mais foi a diferença de ITU dos levantamentos de dados climaticos obtidos em fazendas ,em relação aos dados divulgados pela estação metereologica ,no experimento citado no artigo?
PATRICIA KELLY

UBERLÂNDIA - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 01/12/2016

Bom dia, Junior Machado!



Há diferenças entre a nebulização e a aspersão. A principal delas é que, com a nebulização, são formadas gotículas de água extremamente pequenas, as quais levam mais tempo para atingir o piso da instalação e favorecem a evaporação. Portanto, com a nebulização, é formada uma névoa que permanece em suspensão no ar e evapora antes de ser depositada no chão, o que auxilia a resfriar o ambiente. Já a aspersão gera gotas de água maiores, o que gera uma atmosfera saturada de vapor e pode dificultar as trocas térmicas, especialmente por evaporação.



Abraços,



Patrícia.
PATRICIA KELLY

UBERLÂNDIA - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 01/12/2016

Bom dia!



Obrigada, Juliano Bérgamo!



Dair e Ricardo, há várias fórmulas para o cálculo do ITU e uma delas é essa que o Juliano citou.



Há também um artigo, muito interessante, em que foi desenvolvido um software para o cálculo do ITU a partir dos dados de temperatura e umidade, no qual o ITU já vem até com a classificação do risco:



MOLLO NETO, M.; NÄÄS, I. A. Software de agricultura de precisão para monitorar parâmetros ambientais de conforto térmico na bovinocultura de leite. Revista Brasileira de Engenharia de Biossistemas, v. 8, n. 2, p. 112-127, 2014.



Há também uma tabela, como o Juliano Bérgamo falou, que correlaciona a umidade com a temperatura e indica, por fim, o ITU correspondente:



NIENABER, J.A.; HAHN, G. L.; EIGENBERG, R.A. Engineering and Management Practices to Ameliorate Livestock Heat Stress. In: International Symposium of the CIGR - New Trends in Farm Buildings, 2nd Technical Section. Book of abstracts. CD-ROM. Congresso Évora, Portugal. May 02 - 06/2004.



Espero ter contribuído!



Abraços,



Patrícia;
JULIANO BÉRGAMO RONDA

UBERABA - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 01/12/2016

Parabéns aos autores pelo excelente artigo! Concordo que o estresse térmico tem sido um dos principais entraves para os bovinos leiteiros. Afetando diretamente a produção e reprodução.



Dair e Ricardo o índice ITU é calculado com o uso de fórmulas, sendo que existem alguns modelos matemáticos que podem ser utilizados. Em um dos artigos pesquisados encontrei uma fórmula que depende da temperatura e umidade.



Esse modelo foi  imposto por THOM (1959), conforme descrito na equação abaixo.



ITU = (0,8 x TA + (UR/100) x (TA- 14,4) + 46,4)



Em que;

TA = temperatura do ar ºC;

UR = umidade relativa do ar (%)



Hoje em dia já existem tabelas que podem ser utilizadas e que podem facilitar, sendo facilmente encontradas na internet.



Espero que ajude!
JUNIOR MACHADO

MARECHAL CÂNDIDO RONDON - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 30/11/2016

Nebulizadores sao tao eficientes quanto a asperçao ?
RICARDO LUIZ DORE

LONDRINA - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 30/11/2016

Otima noticia,



Agora, como calcula-se este indice ITU?????
DAIR JORGE PFEIFER

CONDOR - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 30/11/2016

Muito Boa a matéria.

Gostaria de saber como se chega a este índice (ITU), é a soma da temperatura e a umidade relativa do ar e divide por 2?
MilkPoint AgriPoint