ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Contenção prática de búfalos

POR EDUARDO BASTIANETTO

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 17/07/2014

3 MIN DE LEITURA

3
0
Nesta publicação iremos abordar os sistemas de contenção dos búfalos, destacando a necessidade de adequar as instalações e a praticidade do sistema de eletrificação de cercas para o manejo dos animais em sistema de pasto.

Considerando a possível variação no tamanho e proporções corporal de búfalas em lactação, que podem variar em função da composição racial tanto em rebanhos puros quanto em rebanhos mestiços e da presença ou não de chifres (búfalos descornados), é oportuno conhecer o tipo de animal que será criado para a construção das instalações no sistema de produção de leite de búfala. Das raças com maior produtividade de leite que são criadas no Brasil, temos a raça Murrah, que apresenta um porte menor, e a raça Mediterrânea, que apresentam um porte médio, semelhante aos animais da raça Girolanda.


Apesar da boa produtividade individual de leite de alguns animais da raça Jafarabadi, a participação deste grupo genético nos rebanhos de leite de búfala é inferior por serem animais de porte maior, apresentarem maturidade sexual tardia a conformação de chifre que dificulta o manejo dos animais em cocheiras e sistemas automatizados de ordenha. Não podemos esquecer das características dos animais da raça Jafarabadi por ser esta uma raça muito utilizada e também adequada para a formação de rebanhos mestiços descornados para a produção de leite.

De maneira geral, as búfalas em lactação são animais com peso médio de 700 kg de peso vivo, porte médio e muito profundos, com grande capacidade abdominal e membros posteriores largos, o que determina a necessidade de adequar troncos e outras formas de contenção para as práticas de manejo. Atualmente, existem currais de ordenha de búfalas que utilizam todos os sistemas de ordenha inicialmente desenhados para bovinos (fila indiana, espinha de peixe, carrocel) dentre os quais o sistema de fila indiana é o mais adequado para a ordenha de búfalas com o bezerro ao pé e também o de mais facial adaptação.

Em relação à contenção dos búfalos em pastagens e currais, é sabido que para cercar os búfalos é necessária muita comida e sombra para garantir o bem estar dos animais. Quando estão bem tratados e não há disputa entre reprodutores ou fêmeas no cio em área confrontante com o local onde estão os reprodutores, é raro ver búfalos “fugindo” do local onde devem ficar. É importante lembrar que, quando definimos o local onde os animais devem permanecer, a escolha do ambiente que impomos aos animais pode ser mais conveniente para o proprietário e funcionários do que para os animais e, ao não atender uma condição mínima de conforto e saciar a fome dos indivíduos, é natural aos búfalos e também aos bovinos, equinos, ovinos, caprinos, etc, se movimentarem em busca de melhores condições.

Referências para a construção de currais e instalações para búfalos estão disponível também na literatura. Considero oportuno consultar o livro “CRIAÇÃO DE BÚFALOS: Alimentação, manejo, melhoramento e instalações”, publicado pela EMBRAPA em 1993 de autoria dos doutores Cristo Nascimento e Luiz Octávio Moura Carvalho.

Mesmo os búfalos mansos e adaptados ao manejo produtivo, em relação aos demais animais, possuem maior facilidade de transpor barreiras físicas (cercas) e ambientais (lagos e brejos), quando não recebem a atenção necessária para se alimentar e repousar.

A maior capacidade dos búfalos em se movimentar se dá em função de características físicas em membros e articulações e também do couro que é mais espesso e não de comportamento bravio como é eventualmente comentado. Ao utilizar o búfalo para a produção de leite e obter lucro, devemos nos aproveitar destas características e ganhar mais dinheiro realizando adaptações quando necessárias. Vejam só, o búfalo é facilmente contido com a utilização de um único fio de cerca elétrica colocado em altura de 0,80 metros do chão. Por não ter habilidade em saltar e ser muito sensível ao choque, a utilização de cerca eletrificada na altura indicada limita a passagem dos animais adultos por cima e por baixo da cerca. Quando há a presença de bezerros ao lado das búfalas, é necessário adicionar outro fio de cerca eletrificado em altura de 0,40 metros, ficando assim todo o rebanho contido no local desejado.


 

Nunca se esqueça de colocar sombreamento para os animais, mesmo que seja necessário construir sombra artificial com a utilização de sombrites, bambu, palha ou madeira. Quando possível, utilizem o sombreamento natural de árvores e cercas vivas, onde se destaca o sansão do campo.

Quando o rebanho de búfalos é parte de um sistema de produção de leite do tipo familiar, é comumente observada a manutenção de um pequeno grupo de animais ao redor das residências e currais de ordenha sem a necessidade de contenção.
 

ARTIGO EXCLUSIVO | Este artigo é de uso exclusivo do MilkPoint, não sendo permitida sua cópia e/ou réplica sem prévia autorização do portal e do(s) autor(es) do artigo.

EDUARDO BASTIANETTO

Médico Veterinário
Pesquisador INCT - Pecuária / EV-UFMG
Presidente do Conselho Deliberativo Técnico da ABCB
Diretor de Relações Institucionais da Ass. Mineira de Bubalinocultores

3

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

JOSÉ PAULO CLEMENTE

SANTOS - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 25/01/2019

Matéria muito boa. Gostaria de saber sobre inciminação, fertilização in vitro , se existe para bufalos e também onde comprar ordenhadeira carrocel.
sem mais, agradeço antecipadamente.
José Paulo (jpclemente@uol.com.br)
NESTOR MONTIEL

BELÉM - PARÁ - PESQUISA/ENSINO

EM 22/05/2015

Saludos desde Venezuela

les informo que nuestra industria bufalera va en franco crecimiento a pesar de que en las estadísticas de la FAO Venezuela no aparece como país productor de leche.  Todos nuestros sistemas de producción es hacía producir leche ha pastoreo, para finales de año 2015 según mis datos debemos tener una población total de cabezas de búfalos 803248 y un total de bufalas de 292991 bufalas de uno y más partos.

en nuestros sistemas de producción es normal realizar IA, IATF,  también se están realizando trabajos de Opsu (aspiración folicular) ,Muchas fincas cuentan con ordeño  mecánico.

Tenemos productores que producen por lo menos 1000 lts/día promedio durante todo el año.

tenemos una explotación con casi 200000 cabezas d búfalos

Fuente: Mv. MSc. Nestor Montiel Urdaneta

38 años como médico veterinario

28 años de experiencia en rebaños bufalinos
ROMÃO MIRANDA VIDAL

PALMAS - TOCANTINS

EM 18/07/2014

Eu particularmente são um adepto da criação de búfalos. Já operei em uma propriedade com 620 búfalas. Animais dóceis, de fácil manejo, desde que cedo se comece a trabalhar sistemas de condução nas lides diárias. Era um plantel Murrah, com produção de 2000 quilos por lactação (305 dias) média de 6 litros/dia. A grande vantagem nesta exploração está no teor de gordura de 5 a 8,5%  e o teor proteico de 3,5% a 5%. O que se levado em consideração para a indústria queijeira daria uma larga margem de vantagem em relação ao leite de vacas bovinas. A outra vantagem que se pode notar na criação de búfalos está na reduzida oferta de raças, o que permite de certa forma, repito de certa forma, adaptar-se ao tipo de exploração, tanto para pequena propriedade como para média e grande. O que se deve quebrar é o paradigma de que búfalo é bicho do mato, intratável, brabo, que não respeita cerca e etc. Na propriedade que trabalhei havia dois rebanhos. Um com as 620 búfalos e outro com 3.200 vacas Nelore. Outra vantagem na produção de leite - via búfalas - é a agregação de valor, enquanto queijaria com SIM -Serviço de Inspeção Municipal - onde se usam 8 litros de leite para 1 quilo de leite, contra a média de 10 a 12 quilos de uma vaca bovina. Deve-se considerar que para uma criação de búfalos, muitos fatores devem ser levados em consideração, como açudes ou tanques para dissipação do calor; farta alimentação com qualidade e variação; alimentação variada e constante. Em relação a ordenha, nós adotamos uma prática antiga, é a Ginástica Funcional do Aparelho Mamário, iniciando desde após a desmama e continuando quando prenhas, com permanência no curral de ordenha com as outras matrizes e presença na sala de ordenha. Vale a pena.
MilkPoint AgriPoint