ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
FAÇA SEU LOGIN E ACESSE CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Acesso a matérias, novidades por newsletter, interação com as notícias e muito mais.

ENTRAR SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Biosegurança ao se trabalhar com bezerros

POR JOSÉ ROBERTO PERES

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 09/03/2001

4 MIN DE LEITURA

0
0

José Roberto Peres

Práticas que a princípio podem parecer desnecessárias são importantes para a prevenção de doenças

Dificilmente se encontra um veterinário que só trabalhe com bezerros. Normalmente ele trabalha com animais adultos a maior parte do tempo. Parte do tempo ele passa com novilhas mais velhas, em geral aquelas em idade de cobertura ou ainda mais velhas. Em função disso, muitas vezes eles negligenciam alguns hábitos de biosegurança ao tratar dos animais mais jovens.

É interesse de todo criador manter os bezerros vivos e saudáveis. A prevenção da transmissão acidental de doenças pelo profissional que zela pela saúde dos animais é uma maneira de se atingir esse objetivo. Portanto, o que pode ser feito para "estimular" o veterinário a seguir rotinas básicas de biosegurança com bezerros recém nascidos ou muito jovens?

É comum durante uma visita do veterinário à fazenda para examinar vacas adultas alguém dizer: "antes que você saia, doutor, nós temos um par de bezerros doentes que gostaríamos que olhasse". Este comentário sempre ocorre no meio de um exame reprodutivo, ou de uma cirurgia para corrigir um deslocamento de abomaso.

Vamos lembrar as fontes potenciais de contaminação por esterco das vacas adultas, associadas ao veterinário. Em primeiro lugar, seu carro pode facilmente ter sido estacionado num local onde as rodas foram contaminadas com esterco. Se o bezerreiro é um pouco distante, faz sentido ir de carro até lá. Neste caso, é aconselhável solicitar ao veterinário não conduzir seu carro até o local. Estacione um pouco distante das instalações e caminhe o resto da distância.

Segundo, nós todos sabemos que não se pode caminhar num estábulo de vacas sem se sujar pelo menos as botas com esterco. Por isso, uma lavagem completa das botas é recomendável antes da visita ao bezerreiro. Na realidade, esta deve ser uma preocupação do veterinário sempre que se movimenta de uma fazenda a outra. Logicamente, uma maneira de se passar esta mensagem é dando o exemplo, lavando suas próprias botas. Cada vez mais fazendas estão insistindo que funcionários e visitantes passem por um pedilúvio com desinfetante antes de acessarem as instalações dos bezerros.

Terceiro, todos que já trabalharam com bezerros recém nascidos ou muito jovens sabem que eles sugam qualquer parte de você que eles possam alcançar. Isto inclui nossa roupa. Se você está solicitando ao seu veterinário para manusear ou examinar fisicamente seus bezerros, eles terão contato com suas roupas. Enquanto não é razoável trocar cada peça de roupa quando se move das instalações de vacas adultas para os animais jovens, todo veterinário deveria usar e carregar um jaleco extra a ser trocado nestas situações. Se você, ou outro funcionário, estava acompanhando o veterinário, deveriam fazer o mesmo para dar o exemplo.

Se você seguiu tudo isto, fez ótimo trabalho eliminando o esterco das vacas adultas. Mas, opa!, talvez uma boa lavagem nas mãos seja uma boa idéia, uma vez que podemos facilmente ter nossas mãos na boca dos bezerros.

Se mais de um bezerro deve ser examinado, planeje realizar os exames movendo-se do mais novo para o mais velho. Os bezerros com menos de duas semanas de idade têm menos imunidade a patógenos que os mais velhos, próximos da desmama. Portanto, leve o veterinário ao bezerro mais novo primeiro, mesmo que esta não seja a rota mais conveniente. Por exemplo, examine primeiro o bezerro com dez dias de idade com diarréia antes de olhar o de sete semanas de idade com suspeita de pneumonia.

Nós sabemos que os patógenos podem ser transferidos de bezerro a bezerro. Isto é especialmente verdadeiro quando o veterinário tem contato físico com os bezerros para fazer um bom diagnóstico. Você pode prevenir este tipo de transmissão oferecendo um par limpo de luvas descartáveis para cada bezerro. Você pode ainda carregar um balde de água quente com água sanitária. Isto pode ser usado para enxaguar um revólver aplicador de vermífugo ou outro tipo de equipamento, quando necessário. Se você tem mais de um bezerreiro, esta solução pode ser utilizada para lavar as botas antes de entrar em outra sala.

Isto tudo pode soar um pouco extremo, mas se você já experimentou um surto de diarréia ou pneumonia na fazenda você deve saber por experiência própria que estas são somente medidas básicas de biosegurança.

Comentário MilkPoint: estes cuidados básicos, embora num primeiro momento possam parecer totalmente impraticáveis no dia-a-dia de uma fazenda, se observados com calma, fazem sentido e não irão parecer tão difíceis de aplicar. Tudo é uma questão de hábito. Este tipo de manejo, que tem muito pouco ou nenhum custo, pode salvar alguns animais, além de economizar trabalho e medicamentos, podendo representar boa soma de dinheiro no final do mês. Tente se educar e educar seus funcionários para estes conceitos básicos de higiene, que podem ser aplicados até mesmo em pequenas propriedades.

fonte: LEADLEY, S. e SOJDA, P, 2001. Biosecurity when the veterinarian works with calves. Calvin ease, February.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint