ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
FAÇA SEU LOGIN E ACESSE CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Acesso a matérias, novidades por newsletter, interação com as notícias e muito mais.

ENTRAR SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Balanceamento protéico para vacas leiteiras

POR ALEXANDRE M. PEDROSO

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 01/11/2006

4 MIN DE LEITURA

34
2
Nos últimos tempos eu tenho recebido muitos questionamentos sobre a melhor forma de balancear as rações das vacas em relação à proteína. Tenho percebido técnicos e produtores de leite bastante preocupados com essa questão, e outro dia um deles me questionou quando eu disse que em determinadas situações temos que retirar parte do farelo de soja (FS) da formulação para poder balanceá-la corretamente.

Esse técnico me disse que não conseguia formular concentrados para vacas a pasto produzindo acima dos 30 kg/dia com menos de 20-22% de PB, e eu disse que é perfeitamente possível fechar a formulação com menos que isso, e que eu tinha certeza de que a fórmula dele não estava adequada. Ele não ficou muito satisfeito, mas me deixou mostrar os argumentos.

Antes dos finalmente, é preciso fazer algumas considerações sobre as frações protéicas, e como isso afeta a formulação das rações. Proteínas nada mais são do que cadeias de aminoácidos (AA), que são os nutrientes efetivamente exigidos pelas vacas. A degradação de proteínas no sistema digestivo resulta no aparecimento de um "pool" de AA no intestino delgado (ID), onde podem ser absorvidos. Esse "pool" de AA, disponíveis para absorção no ID é chamado de proteína metabolizável (PM).

A proteína bruta contida nos alimentos dos ruminantes é composta por uma fração degradável no rúmen (PDR) e uma fração não degradável no rúmen (PNDR). A degradação das proteínas no rúmen ocorre através da ação de enzimas secretadas pelos microrganismos ruminais. Esses microrganismos degradam a fração PDR e utilizam o nitrogênio dessa fração para a síntese de proteína microbiana (PMic), que se constitui no principal componente da PM, tanto em quantidade como em qualidade, pois a PMic tem um excelente perfil de AA.

As proteínas dos alimentos variam quanto às proporções de PDR e PNDR. Por exemplo, a proteína do FS tem muito mais PDR do que a proteína do farelo de algodão (FA). Quando formulamos dietas para vacas leiteiras devemos levar isso em conta, e não apenas o teor de PB. Para atender as exigências protéicas de uma vaca leiteira, temos que formular uma dieta que forneça toda a PM que a vaca precisa. E como fazer isso?

A PM é composta pela PMic, PNDR e uma pequena porção de proteína endógena. Para maximizar a síntese de PMic temos que fornecer quantidades adequadas de PDR e energia para que os microrganismos do rúmen possam trabalhar com eficiência. Quando a síntese de PMic é maximizada, não adianta fornecer mais PDR, pois não haverá síntese de PMic adicional com isso. Nessa situação é preciso fornecer PNDR para "fechar" o balanceamento de PM. Qualquer PDR fornecida a mais nesse caso, será quase que integralmente perdida. Com isso a ração final terá um teor de PB excessivo, resultado do excesso de PDR. Para entender melhor essa questão, vamos analisar uma situação prática.

Recentemente formulei uma dieta para um produtor que tem vacas de alta produção a pasto, sendo que o lote de maior produção tem média de 30 kg/dia. O pasto dele é muito bom, então considerei uma forragem de alta qualidade. Nessa formulação eu utilizei alguns subprodutos que ele tem disponíveis, como caroço de algodão e polpa cítrica. As fontes de proteína no concentrado foram FA e FS.

Em seguida fiz uma simulação de como ficaria o concentrado se eu não utilizasse o FA, só FS. Nessa situação, estaria fornecendo quantidade mais elevada de PDR, pois a proteína do FS é bem mais degradável que a do FA. Essas dietas estão na tabela abaixo.


Notem que ao retirar o FA, temos que usar mais FS para fechar o balanço de PM. Como este tem teor de PDR superior ao do FA, no final sobra mais PDR para poder fechar o balanço de PM. Isso acontece pela razão exposta no início deste artigo. Quando a síntese de PMic já está maximizada, não adianta dar mais PDR, pois essa fração não será utilizada pelos microrganismos do rúmen. Nesse caso, temos que entrar com uma fonte com maior teor de PNDR, como o FA.

O resultado é que a ração só com FS tem teor mais alto de PB e maior sobra de PDR que a ração com FA. E ambas atendem igualmente às exigências de PM, que é o que efetivamente importa para a vaca. A ração com FA fica mais barata (R$ 0,04/vaca/dia), e melhor balanceada. Essa PDR adicional deverá ser eliminada pelo organismo do animal, num processo que consome energia para eliminar o nitrogênio na forma de uréia. Com isso, possivelmente o teor de N-uréico do leite dessas vacas seja mais elevado, o que é uma coisa indesejável.

Trocando em miúdos, nem sempre é preciso trabalhar com teores elevados de PB na ração de vacas de alta produção. No caso ilustrado aqui economizou-se mais de 1 ponto percentual em PB na MS do concentrado, e a dieta das vacas ficou melhor balanceada.

ALEXANDRE M. PEDROSO

Engenheiro Agrônomo, Doutor em Ciência Animal e Pastagens, especialista em nutrição de precisão e manejo de bovinos leiteiros

34

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ROBSON DOS SANTOS MEDEIROS

JARDIM DAS PIRANHAS - RIO GRANDE DO NORTE - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 25/05/2020

Ola alexandre a moringa na alimentação para vacas leiteira na media 20 litros dia e uma boa alternativa ?
FERNANDO RAMALHO TRIGUEIRO MENDES

JAGUARIBE - CEARÁ

EM 16/09/2017

Boa noite Alexandre.

Parabens pelo seu artigo e suas informações.

Posso ver que existem muitos que como eu tem dificuldade de fazer uma dieta balanceada para o seu rebanho e eu como apenas um apaixonado por gado de leite sou mais um neste universo e faco a alimentação das minhas poucas vaca de media de 10 kg/dia de uma forma empirica e tentando aprender com alguns que como eu aprenderam com outros sem muito embasamento técnico. Disponho de milho, soja em caroço ou moida, torta  de algodão e capim maranhão . Sera que, se possivel uma orientação da referida dieta em kilos pois como me referi sou totalmente leigo no assunto.
JUNIOR MACHADO

MARECHAL CÂNDIDO RONDON - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 04/07/2017

Bom dia Alexandre.

Primeiramente parabéns pelo artigo.

Essa semana formulei uma dieta para um produtor que possui animais que preduzem aproximadamente 30 litros de leite por dia. São animais de aproximadamente 550 kg de PV.

Os alimentos disponíveis que ele tem são:

Massa de mandioca;

Feno;

Farelo de trigo;

Farelo de soja;

Milho.

Para fechar a exigencia de PB formulei um concentrado com nucleo mineral (3%), farelo de soja, farelo de trigo e milho. Esse concentrado fechou em 24% de PB e na dieta total fechou a exigencia dos animais. Gostaria de saber se essa formulação esta adequada, pois faz pouco tempo que estou atuando nessa área e nunca havia formulado uma dieta sem silagem de milho pé-inteiro.

Abraço.
REINALDO DE JESUS

DÁRIO MEIRA - BAHIA

EM 28/05/2016

Olá, boa tarde

Vi alguns questionamentos e explicações suas, logo me interessei.  

Eu faço uma mistura com sal comum, milho quebrado e farelo de soja. Só que nada sistemático, coloco 60 kg de milho, 25 kg de sal e 3 ou 4 kg de farelo de soja. Se possível me mande algo mais preciso que eu possa fazer.
PAULO GEOVANE

QUIXERÉ - CEARÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 06/10/2015

Prof.Alexandre boa noite  estou formulando uma dieta a base de feijão moido para vacas de 450kg com produção de 10l / dia gostaria de sabe até quantos kilos de feião uma vaca pode consumir por dia sem ter perigo de intoxicação.





Atenciosamente;

Paulo Geovane
AILTON SILVINO SOUZA DE OLIVEIRA

JARAGUARI - MATO GROSSO DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 27/09/2015

ola eu gostaria de uma formulaçao para as minhas vacas leiteiras fico no aguardo



att ailton
RONILDO

CÂNDIDO SALES - BAHIA - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 16/09/2015

Boa noite Alexandre, estou com um serio poblema e procuro pela sua ajuda. Nao estou conseguindo balancear um concentrado para meus animais com media de 15lt dia; estou usando soja,  28 milho . nuclo sal leiteiro  Vejo que meus animais estao aos poucos aumentando peso e diminuindo a produção. Como eu posso mudar o que esta acontecendo  tem vc min da uma dica boa para elas almita   ? Obrigado, fagundes
RONILDO

CÂNDIDO SALES - BAHIA - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 16/09/2015

ola  amigo boa noite eu gostaria de sabre com que eu fraco para da um balanceamento bom para minha vacas e o volumoso e a raspa da mandioca min de uma famulo para min que fico muito grato     
MARIA ALCIONE LEAL

EM 26/06/2015

gostei muito do seu artigo... Mas gostaria de saber se feijão pode ser utilizado na ração das vacas leiteiras... e se pode como faço iso?
DONIZETE GONSALVES

SANTA ADÉLIA - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 19/06/2014

Donizete  gonçalves

Santa  Adelia SP  Produtor  de  leite

boa  noite  eu  preciso  de  uma  formula  de  raçao  para  minhas  vacas  a  media  das  vacas  e  10kg  dia   eu   tenho farelo  de  sorja   milho   moido  e  nucleo  e  poupa  citrica
MUCIO TIEIXEIRA CAMPOLINA JUNIOR

UBERLÂNDIA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 16/05/2014

estou com vacas na media de 20 kg dia ,, preciso da formula desta ração .qual a quantidade de cada item para  formular a ração;





Mucio campolia-uberlandia mg
RENATO LANDIM

DUQUE DE CAXIAS - RIO DE JANEIRO

EM 04/05/2014

Boa noite, alguém poderia me orientar na formulação de ração, para vacas com 28 kg dia

de produção
GUILHERME

SÃO BENTO DO SAPUCAÍ - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 24/07/2013

Dr Alexandre,

Gostaria de parabeniza-lo pelo ótimo artigo.

Gostaria de saber se é viável aplicar esta dieta em vacas com produção entre 11 e 20kg de leite? como devo administrar a quantidade de concentrado por vaca? Há alguma alteração considerável visto que as pastagens estão localizadas em terrenos montanhosos? Posso fazer uma mistura que fará diferença na produção ultilizando apenas farelo de soja e de milho? Qual o tempo nescessário para esta dieta se refletir na produção?

Desculpe por tantas perguntas mas é que na minha região existem muitas pessoas opinando cada um ultizando uma metodologia diferente, fica complicado saber ao certo qualseguir!

Desde já agradeço
MICHEL KAZANOWSKI

QUEDAS DO IGUAÇU - PARANÁ - OVINOS/CAPRINOS

EM 17/06/2013

Caro Alexandre,



O exemplo que citei é de vacas que consomem pastagem de tifton 85, adequadamente manejado e com alta carga de adubação nitrogenada. Não tenho analise do mesmo mas sabe-se que nestas condições pode-se alcançar facilmente acima de 20% de PB.

A maior parte desta é PDR. O alto nível de FDN no pasto causa um desbalanço protéico/energético e toda a proteína contida, rapidamente degradada, não é integralmente aproveitada, gerando perdas, elevação do nível de uréia no leite e um baixo nível de proteína no leite.

Os concentrados comerciais utilizados para suplementação destas vacas contém, na sua grande maioria, farelo de soja como fonte protéica, que como mencionaras tem a sua maior parte de PDR, portanto além de não suprir a proteína necessaria coloca mais N no rumen.

Como equacionar isso em vacas pós-parto produzindo mais de 30 litros dia, que além de produzir leite precisam ganhar peso?



Att.,



Michel
ALEXANDRE M. PEDROSO

PIRACICABA - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 28/05/2013

Michel, o principal é falta de energia na dieta, mas é preciso avaliar o balanceamento como um todo, focando no balanço de nutrientes - energia e proteína degradável, principalmente - no rúmen.



Att,



Alexandre
MICHEL KAZANOWSKI

QUEDAS DO IGUAÇU - PARANÁ - OVINOS/CAPRINOS

EM 24/05/2013

Caro Alexandre,



Quais os fatores ligados a dieta que levam vacas a reduzirem o nível de proteína no leite?



Att.,



Michel
ALEXANDRE M. PEDROSO

PIRACICABA - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 24/05/2013

Angela, obrigado pelo elogio. Fico feliz em saber que estamos ajudando as pessoas no campo.



Paschoal e Weliton, infelizmente não há fórmulas mágias, e para balancear corretamente as dietas para vacas leiteiras, especialmente as de potencial elevado, é preciso aplicar corretamente os conceitos nutricionais. A composição da ração concentrada varia bastante em função da qualidade do volumoso e dos alimentos disponíveis. Minha sugestão é que vocês procurem um técnico capacitado nas respectivas regiões, que possa ajudá-los com essa tarefa. Um bom técnico pode contribuir muito para melhorar a eficiência alimentar das vacas, o que tem impacto decisivo sobre a rentabilidade da fazenda.



Att,



Alexandre
ANGELA APARECIDA FERREIRA ILLANES

GUAXUPÉ - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 12/05/2013

Parabéns Alexandre, pelo artigo.



Acompanho seu trabalho ha algum tempo, Sua abordagem é feita de forma simples e objetiva, sem muitas complicações.



Seu trabalho sempre me ajudou muito no campo.



Obrigada



  
PASCHOAL JANNUZZI DE PAULA MOTTA

VALENÇA - RIO DE JANEIRO

EM 11/05/2013

Boa noite Dr Alexandre



tendo em mãos residuo de soja,cevada, milho em grão teria como formular ração pra vascas leiteiras puras e com boa para ótima produção asim como para bezerras, novilhas vacas secas e amojando ? pois estes insumos que vos falo tem um preço bastante accessível o que ficaria um pouco mais caro mas mesmo assim ainda com bom preço seria o milho,  no caso não sei se vai sugerir um premix o qual ainda não vi o preço mesmo assim creio que a quantidade a ser uzada ou sugerida que se uze seja em proporção ao volume de tudo creio que ao final conseguiria uma ração com bom preço ,pois o volumoso seria o que eu produziria, como  silagem de milho,e capim anapier mais pasto de boa qualidade etc... me desculpe mas por favor mesmo que não formule a ração me dê uma luz à respeito. No aguardo atenciosamente



Paschoal Jannuzzi
PAULO EMILIO DE FIGUEIREDO OLIVEIRA

SÃO JOÃO EVANGELISTA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 27/03/2012

Otima ração. Só que tem que ter forrageira de otima qualidade.
MilkPoint Logo MilkPoint Ventures