ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Anotação zootécnica: primeiro passo para o melhoramento genético

POR OCTÁVIO ROSSI DE MORAIS

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 07/05/2008

3 MIN DE LEITURA

17
0
Embora não se consiga concordância sobre o que é melhor, o princípio do melhoramento é selecionar os melhores e dar a eles maior chance de deixar descendentes, isto porque sabemos que os melhores têm maior chance de deixar bons descendentes.

Selecionar é escolher. Há pessoas que acreditam que sabem escolher um "bom animal" só de bater o olho, no dia em que o bichinho nasce. Pode ser. Mas aí cabe discutir o que vem a ser um "bom animal" e o que vem a ser um "animal melhorador". Já falamos muito sobre as pistas de julgamento, e, sendo um pouco mais condescendentes com a turma da beleza e pureza racial, podemos aceitar que realmente existem pessoas com olho bom para selecionar campeões. É uma questão de experiência, de arte e de um pouco de futurologia. Para pista o que conta e o que dá dinheiro é o animal bonito e bem tratado, portanto o melhor animal é o que mais encanta aos olhos.

No entanto, quando falamos de animais de produção, escolher "a olho" é uma tarefa impossível. Sem conhecer o material do ponto de vista produtivo, nossas chances de fazer boas escolhas ficam reduzidas a zero. Mas melhorar somente a produção pode não ser o mais interessante.

Vivemos num país sem subsídios para a produção pecuária, então o importante não é o que o animal produz, mas o quanto ele produz de lucro. Assim, é importante saber qual a receita e qual a despesa com cada animal. Para isto é imprescindível ter dois tipos de anotação: a zootécnica, onde procuramos registrar os eventos ligados à vida produtiva dos animais, e a econômica, onde se registram os gastos, os investimentos e as receitas ligadas à atividade e a cada animal.

Tudo isso parece muito complexo, principalmente para o produtor, que já se ocupa de tanta coisa. É bastante comum o produtor pedir para o técnico um modelo de ficha de anotação, ou um programa de controle de rebanho, mas muitas vezes a ficha e o programa ficam esquecidos depois de algum tempo. Isto acontece porque pouca gente faz uso prático das informações, e desta forma o trabalho de anotação é em vão.

Tenho uma amiga em Brasília que chegou a ter mais de duas mil ovelhas deslanadas e fazia uma anotação zootécnica excelente. O marido dela fazia a anotação econômica. Essa minha amiga é a doutora Maria Isabel Boffil, veterinária, e referência na ovinocultura do Centro Oeste. O mais curioso, no entanto, é a forma que ela achou para fazer as anotações. Seus funcionários de campo recebiam no início do ano, cada um, uma agenda. Essa agenda deveria ficar com eles todo o dia e os funcionários deveriam anotar todos os eventos relacionados ao rebanho, no dia correspondente: nascimento com identificação, peso do cordeiro e número da mãe; mortes, com identificação do animal e causa aparente; pesagens, vacinações, vermifugações e outros eventos sanitários; vendas e preço de venda. No fim de semana a Maria Isabel passava as anotações para uma agenda única, com as devidas correções e com o esclarecimento de eventuais dúvidas.

Com esse procedimento ela podia, inclusive, avaliar o envolvimento do funcionário com o trabalho. Maria Isabel tinha, ainda, o cuidado de manter uma ficha individual dos animais. Acontece que ela não gostava de computadores, o que certamente facilitaria seu trabalho de compilação de dados.

O marido, economista, guardava todos os recibos de compras e despesas gerais da fazenda em envelopes identificados com o respectivo mês. Tive a oportunidade de trabalhar com esses dados no meu doutorado e posso dizer que não vi nada igual, nem antes nem depois dessa época. A idéia é a mais simples possível, como toda boa idéia, fácil e prática de se adotar.

De posse desse tipo de informações é possível dizer quais são os melhores animais, do ponto de vista produtivo, econômico, e, com um pouco mais de refinamento, aqueles que podem contribuir com progênies melhores. As anotações zootécnicas e econômicas são, então, ferramentas de gestão de suma importância, e subsídio imprescindível para o melhoramento genético. Aqui não se trata de arte, nem de clarividência, nem de sorte, trata-se da mais pura e simples matemática, aliada à economia e a conhecimentos de genética.

OCTÁVIO ROSSI DE MORAIS

Melhoramento Genético de Caprinos e Ovinos - Embrapa

17

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

JOSÉ EDNALDO ALVES DE CARVALHO

EM 04/03/2019

Achei muito interessante seu artigo sobre anotações zootécnicas,e gostaria,se possível,de também receber uma cópia,via e-mail,de sua planilha de dados.
Dr. Otávio, parabéns pelo texto simples mais de boa leitura e compreensão.
AIRTON CÉSAR FERREIRA DE OLIVEIRA

AIUABA - CEARÁ

EM 06/01/2010

Dr. Otávio, parabéns pela sua explanação, suas explicações são de grande valia para nós criadores de Ovinos... Gostaria de receber tb por e-mail uma cópia de sua planilha de dados.
Um Abraço
Agradeço
ANTONIO CARLOS CRUZ DE ARAUJO

SANTA MARIA DA VITÓRIA - BAHIA - PRODUÇÃO DE OVINOS DE CORTE

EM 28/09/2009

Gostaria de parabenizar o Dr. Octavio Morais pelos textos técnicos de altíssima valia para o produtor rural, que deseja trabalhar norteado pela tecnologia, sem a qual , fica muito mais difícil de se alcançar o tão desejado sucesso na atividade rural. Sobre as anotações zootécnicas da ovinocultura de corte, gostaria, caso fosse possível , de receber uma cópia da planilha de dados mais significativos . Abço e muito obrigado!
CARLOS HEITOR SOARES

SANTANA DO LIVRAMENTO - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE OVINOS DE CORTE

EM 29/07/2008

Dr.Otávio,achei muito interessante seu artigo sobre anotações zootécnicas,e gostaria,se possível,de também receber uma cópia,via e-mail,de sua planilha de dados.
ERNANI PAGELS BARBOSA

JOÃO PESSOA - PARAIBA

EM 17/05/2008

Dr. Otávio, parabens pelo texto.

Já venho procedendo o registro de informações relativas ao manejo e controle da minha criação (santa inês e dorper - mestiços e de elite), objetivando maximizar a atividade.

Faço isso através de fichas que copiei de diversos artigos que tenho lido nos
últimos dois anos, mas gostaria que logo que conclua a montagem dessa fichas e planilhas, se possível, também as remeta para mim.

Desde já, obrigado.
OCTÁVIO ROSSI DE MORAIS

SOBRAL - CEARÁ - PESQUISA/ENSINO

EM 13/05/2008

Olá Rogério! Como já são vários os pedidos, estou montando uma pequena planilha de anotações para oferecer como exemplo para vocês. Há muitos bons softwares de controle de rebanho, que substituem as fichas e planilhas, com a vantagem de "filtrarem" as informações que você deseja, mas não posso nem quero fazer indicações, para não ser tendencioso. Em breve envio a planilha. Um abraço.
ROGÉRIO MOREIRA DA SILVA

PINHEIROS - ESPÍRITO SANTO - ESTUDANTE

EM 11/05/2008

Ilustrissimo Dr.otávio.

Primeiramente, parabéns pelo artigo,gostaria de dizer que a escrituração zootécnica e economica é de grande valia para a gestão agropecuária e que gostaria de poder receber um modelo de mais essa ferramenta de trabalho.

atenciosamente.
OCTÁVIO ROSSI DE MORAIS

SOBRAL - CEARÁ - PESQUISA/ENSINO

EM 09/05/2008

Puxa! Que bom se todo mundo fosse como vocês, a favor das anotações! Quanto à afirmação do Helder, acredito que a genética não deve ser tratada propriamente como ciência exata, mas que obedece sim certos padrões matemáticos, ou melhor ainda, de probabilidades. Por isso chamamos essa "genética de cálculos" de Genética Quantitativa, nela procuramos aliar estatística e biologia.

O Marcos Matta tem toda razão quanto ao cuidado que se deveria tomar com os animais em centrais de inseminação, pois eles irão deixar muito mais descendentes e por isso deveriam ser realmente melhoradores. Sem dúvida também está correto quanto ao problema da endogamia.

Um abraço para o Ananias. Outro abraço para cada um de vocês. Muito obrigado por lerem os artigos e por comentá-los.
CAPATAZ ASSESSORIA RURAL

BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL

EM 08/05/2008

Caro amigo Dr. Otávio Morais.

Parabéns por mais um artigo importante com a sua assinatura.

Sou defensor perpétuo, também, da escrituração zootécnica, até porque, além de criador sou Auditor e adoro controles e, principalmente, as informações precisas e rápidas deles decorrentes.

Sucesso.
HELDER GOMES

PATOS - PARAIBA - PRODUÇÃO DE OVINOS

EM 08/05/2008

Dr. otavio,gostei bastate do seu texto,me corrija se estiver errado. Podemos tratar a genetica como uma ciencia exata. se possivel me mande por email um MODELO que voce ache que da certo para se fazer corretamente a escrituração zootecnica. No meu caso seleciono ovinos santa ines.
MARCOS FERNANDO DE RESENDE MATTA

CAMPOS DOS GOYTACAZES - RIO DE JANEIRO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 08/05/2008

Caro Otavio,

Sem duvida voce esta correto de que é muito importante antar todos os dados zootecnicos de um rebanho para poder selecionar e melhorar geneticamente um rebanho. Entretanto quando partimos para uma seleção um pouco mais alta, isto é, de reprodutores para uma central d inseminaço artificial, estes cuidados deverão então ser muito maiores.

Se analisarmos os touros da maioria das centrais, em todas as raças de bovinos vamos constatar uma endogamia muito grande entre eles, como se formassem super familias responsaveis pelo melhoramento genético de todos os rebanhos. Esta endogamia é entretanto uma faca de dois gumes, visto estar trazendo menor resistencia dos rebanhos, maior numero de serviços para produzir uma gesação, etc...

Existe portanto a necessidade de se selecionar os animais considerando fatores tais como as anotações zootécnicas que voce tão corretamente defende, associados a marcadores genéticos de produtividade e a distancia imunogenética dos animais responsaveis pela produção dos reprodutores, utilizando um acasalamento dirigido pelo Complexo Maior de Histocompatibilidade.

Um abraço,
Marcos Matta, Médico Veterinario, PhD em imunogenética
LUIZ GONZAGA NETO

PETROLINA - PERNAMBUCO - PESQUISA/ENSINO

EM 08/05/2008

Prezado Dr Otavio

Concordo com as suas palavras e acho que o que falta na grande maioria das pessoas envolvidadas no agrnégocio em geral é fazer o minimo possivel de anotações sejam técnicas ou econômicas.

Acho até que muitos desses produtores certamente desistiriam da atividade se fizessem essas anotações pois iam ver que o custo praticado era impraticável principalmente , acredito eu, para manter a beleza e o "padrão racial" dos seus animais de pista. Solicito enumerar os principais descritores que devem ser anotados numa escrituração zootecnica.

Atenciosamente
OCTÁVIO ROSSI DE MORAIS

SOBRAL - CEARÁ - PESQUISA/ENSINO

EM 08/05/2008

Obrigado, Cíntia. Realmente a escrituração zootécnica é um primeiro passo que parece difícil de ser dado e nossa missão é bater nessa tecla sim. Claro que temos que mostrar, também, o caminho a ser trilhado após o primeiro passo. Um abraço para você também.
CINTIA RIGHETTI MARCONDES

BELÉM - PARÁ - PESQUISA/ENSINO

EM 08/05/2008

Octávio, mais uma vez um excelente texto. Parabéns!
Parece que nossa missão é bater nesta tecla, sempre: escrituração zootécnica.
Continuarei recomendando aos criadores e alunos o acesso a esta sessão!
Grande abraço,
Cintia
OCTÁVIO ROSSI DE MORAIS

SOBRAL - CEARÁ - PESQUISA/ENSINO

EM 07/05/2008

Obrigado Fábio Rizzi e Neila, o retorno que recebo de vocês me anima a continuar escevendo esses artigos. Espero estar colaborando de alguma forma e estou sempre à disposição para esclarecimentos e para dicutirmos quaisquer pontos de vista. Um abraço.
NEILA LIDIANY RIBEIRO

IMPERATRIZ - MARANHÃO - PESQUISA/ENSINO

EM 07/05/2008

Acho a escrituração zootécnica superimportante é o ponto principal de qualquer criação que queira fazer o melhoramento genético ou até ser comercial, pois você terá como saber tudo que ocorre na tua propriedade. Sou professora e passo isto para os meus alunos, ja até andaei ministrando mini-cursos sobre escrituração para os alunos e para proprietários.
Gostei bastante do seu texto.
FABIO ROGERIO RIZZI

TAPERA - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 07/05/2008

Bom dia Octávio,

Sou med. veterinário estou ampliando a minha criação de ovinos e caprinos aqui no Sul. Já li teus relatos e concordo com muitas das tuas posições os conhecimentos que você compartilha conosco. É de grandiosa valia para quem como eu pretende transformar um hobby em negocio bem sucedido e principalmente lucrativo. Continue escrevendo que eu vou continuar lendo e tentando aprender.

obrigado pela oportunidade.
MilkPoint AgriPoint