FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Gestão de pessoas é o principal aspecto para sucesso das fazendas, segundo produtores do Top 100 MilkPoint

POR CARLOS EDUARDO PULLIS VENTURINI

E MARIANA OLIVEIRA

ESPAÇO ABERTO

EM 17/03/2015

3 MIN DE LEITURA

4
0
O MilkPoint publicou recentemente o relatório Top 100 MilkPoint 2015, que apresenta informações sobre os 100 maiores produtores de leite do Brasil. A publicação traz diversas informações a respeito deste seleto grupo de produtores, como a produção total comercializada, a localização das fazendas, tipo de produção, raças utilizadas e diversos outros aspectos que mostram como está a situação dos maiores produtores do Brasil.

No Top 100 deste ano, como forma de captar as perspectivas destes produtores com relação à atividade leiteira, foi perguntado “Quais são os aspectos técnicos ou de gestão que considera mais importante para o sucesso de sua fazenda no futuro?”

As respostas obtidas foram diversas, mostrando que há uma série de fatores que são considerados essenciais para o desenvolvimento da produção. As informações obtidas foram separadas em grupos para uma melhor avaliação. As áreas definidas foram:

- Gestão de pessoas, incluindo o treinamento da mão-de-obra e o comprometimento dos funcionários da fazenda;

- Gestão operacional e o gerenciamento da propriedade como um todo;

- Gestão financeira, abrangendo os custos de produção;

- Qualidade do leite;

- Conforto animal, relacionado também com a ambiência, bem estar e comportamento animal;

- Alimentação do rebanho;

- Genética;

- Manejo dos animais;

- Reprodução;

- Mercado do leite, tanto informações quanto preço;

- Tecnologia, relacionada a implementos e técnicas inovadoras;

- Mastite, CCS e doenças.

Os resultados podem ser visualizados no gráfico a seguir:

Gráfico 1 – Quais os aspectos mais importantes para o sucesso da fazenda no futuro? – Produtores Top 100

Fonte: Top 100 2015

A Gestão de pessoas foi o item mais citado pelos produtores Top 100 como um aspecto importante para o sucesso da atividade, presente em 28% das respostas. Com o histórico dos últimos anos de valorização real do salário mínimo, é preciso que haja um aumento na eficiência da mão-de-obra, com um maior volume de leite produzido por trabalhador (Gráfico 2. Esse aspecto está relacionado à escassez crescente de mão-de-obra no campo, tornando um desafio maior contratar e reter bons profissionais. Pode-se apontar ainda uma gradual mudança no perfil requerido para os trabalhadores rurais, havendo necessidade crescente de pessoas com condições de lidar com informática e com máquinas e tecnologias mais complexas, bem como com gestão de dados.

Gráfico 2 – Salário mínimo x Preços ao produtor – 1994 = 100

Fontes: CEPEA e IBGE. Dados deflacionados pelo IGP-DI

Gestão financeira foi o segundo item mais citado pelos produtores Top 100, com 16% das respostas - sendo que mais da metade foi relacionada diretamente ao custo da produção. Em seguida tem-se a preocupação com conforto animal (8%). Os itens “Tecnologias”, “Reprodução”, “Alimentação” e “Gestão Operacional” tiveram todos, aproximadamente, 7% das respostas.

O conforto animal teve destaque nas considerações dos produtores principalmente devido ao fato de que o bem-estar afeta a produção - quanto maior a possibilidade do animal expressar seu comportamento natural, maior o potencial produtivo. Além disso, os mercados consumidores se conscientizam cada dia mais sobre os sistemas produtivos e condições de criação, buscando mercadorias cuja produção valorizou e forneceu as melhores condições para os animais.

Há também um equilíbrio na citação de variáveis técnicas (como manejo e reprodução) e nas variáveis de gestão/mercado, o que indica que, na percepção dos produtores Top 100, ambos os aspectos são importantes para o sucesso da atividade.

Tais resultados diferem da pesquisa realizada pelo MilkPoint sobre os “Desafios para a produção de leite em 2015”, realizada com a base de usuários do site. Nela, os custos de produção foram o item mais citado, com 34% das menções, enquanto “mão-de-obra”, teve apenas 6% das menções.

Esta divergência pode ser explicada pela diferença no perfil dos participantes de cada pesquisa: os Top 100 possuem grandes propriedades, precisam da máxima eficiência de seus colaboradores para conseguirem manter bons resultados. Já os participantes da pesquisa dos “Desafios para 2015” possuem perfil variado: são técnicos, produtores de todos os portes, agentes governamentais e que convivem com entraves diferentes dos produtores de maior porte.

Você ainda não viu o relatório Top 100 completo? Clique aqui!
 

ARTIGO EXCLUSIVO | Este artigo é de uso exclusivo do MilkPoint, não sendo permitida sua cópia e/ou réplica sem prévia autorização do portal e do(s) autor(es) do artigo.

CARLOS EDUARDO PULLIS VENTURINI

Economista formado pela ESALQ/USP; Coordenador de Conteúdo do MilkPoint Mercado

4

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

TATIANA DUTRA PEREIRA

COROMANDEL - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 21/03/2015

Obrigada Carlos.



Entendi agora.
CARLOS EDUARDO PULLIS VENTURINI

PIRACICABA - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 20/03/2015

Bom dia, Tatiana.



Os dados foram calculados da seguinte forma:



Pegamos o valor médio do leite e do salário mínimo em 1994 e utilizamos como valor-base (por isso, 1994 = 100).



Nos anos seguintes, aplicamos a variação do preço médio neste valor-base para podermos comparar como os índices evoluíram: por exemplo, se em 1995 o leite tivesse se valorizado 2% em relação a 2014, nosso índice de 1995 seria 102 (100 + 2%).



No gráfico apresentado no artigo, pode-se visualizar que entre 1994 e 2014, a valorização do salário mínimo foi mais do que o dobro da valorização do leite, ou seja, hoje um funcionário é "mais caro" do que em 1994, o que faz com que seja necessário ter uma maior produtividade/trabalhador.



Att,



Carlos Venturini

MilkPoint Mercado






TATIANA DUTRA PEREIRA

COROMANDEL - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 19/03/2015

Bom dia! Não entendi como calcularam o

Gráfico 2 - Salário mínimo x Preços ao produtor - 1994 = 100



Poderia explicar melhor?



Qual é o preço ao produtor R$/L recebido de leite?



Obrigada!
HERMENEGILDO DE ASSIS VILLAÇA

JUIZ DE FORA - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 18/03/2015

Muito bom o artigo; onde valorizou, ambos, gestão e qualidade do leite.
MilkPoint AgriPoint