• Especial Período de Transição

    Conforto e bem-estar de vacas em período de transição

    O período transição (compreendido entre as três semanas antes do parto e três semanas após o parto) é um dos momentos mais críticos no ciclo produtivo da pecuária leiteira, no qual os riscos ao bem-estar animal são maximizados. Durante essa fase, as vacas enfrentam uma série de fatores estressantes, incluindo mudanças na dieta, reagrupamentos sociais, alterações físicas, hormonais e fisiológicas, associadas ao parto e começo da lactação. Um dos principais desafios é o aumento repentino nas exigências nutricionais para dar suporte ao início da lactação, em um momento no qual o consumo de matéria seca não acompanha o aumento da produção de leite. Acessar »

  • Especial Período de Transição

    Estresse calórico durante o período de transição – impactos negativos e como minimizá-los

    Apesar de consumirem menos matéria seca e, com isso, produzirem menor calor metabólico, as vacas secas também sofrem os efeitos negativos do estresse calórico, comprometendo seu desempenho produtivo e reprodutivo na lactação futura, bem como seu sistema imunológico. Assim, sempre que possível, as vacas secas devem ter acesso ao resfriamento ativo para reduzir a carga de calor durante os períodos mais quentes do ano. Isso significa que sombra e, se possível, aspersores ou outros métodos de resfriamento, devem ser fornecidos às vacas secas, em pasto ou confinadas. Acessar »

  • Especial Período de Transição

    Manejo nutricional de vacas leiteiras no período de transição

    O período de transição é uma fase crítica e determinante para a saúde dos animais e seu retorno econômico durante toda a lactação. A capacidade da vaca em consumir energia suficiente nesse período é um dos mais importantes determinantes do sucesso ou fracasso da lactação seguinte. A adaptação ao balanço energético negativo, durante o início da lactação, proporciona saúde e produtividade, enquanto que uma baixa adaptação pode ter como consequência múltiplos problemas, incluindo os clínicos e a diminuição da produção leiteira. Neste estágio, severas alterações metabólicas, fisiológicas e anatômicas ocorrem na vaca parturiente, favorecendo a ocorrência de diversos distúrbios patológicos que podem, além de prejudicar a eficiência produtiva da futura lactação, reduzir o desempenho reprodutivo e aumentar a taxa de descarte. Acessar »