Você está em: Comunidade > Colunistas > Blog

Quando a vaca cai e não levanta mais

Por COWTECH - CONSULTORIA E PLANEJAMENTO - postado em 21/09/2010

27 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir

 

"João Paulo, a vaca n° tal caiu e não levanta mais... "(e agora?! eu me pergunto)

Você pode trocar meu nome pelo seu, ou pelo de quem quiser. Esta é uma situação relativamente, comum. Não deveria ser. Pelo menos o meu desejo é não ter que ouvir esta frase mas, infelizmente e periodicamente, nos deparamos com este problema.

Ao longo de todos este anos, trabalhando na atividade, tenho tentado salvar animais, muitos em vão. Há quem diga que a causa deste insucesso seja devido a minha formação. Afinal, sou agrônomo e não veterinário. No entanto, sou obrigado a afirmar que, em determinadas circunstâncias podemos ser agrônomos, veterinários, zootecnistas, especialistas, curandeiros, benzedeiros, enfim, o que desejar: mas que a vaca não levanta, não levanta.

Neste espaço, ficaria muito extenso tentar enumerar possíveis causas de vacas que deitam e não levantam mais.  No entanto, estou levantanto a questão apenas para debate. O que tenho percebido, infelizmente, que ministrar medicamentos neste casos, a eficácia é muito baixa.

A maioria dos problemas enfrentados em muitas propriedades está associado a problemas de casco e a debilidade física gerada pelos mesmos ou em função de balanço energético negativo potencializados por distúrbios metabólicos pós-parto. De acordo com a capacidade de gerenciamento e nível tecnológico de cada sistema de produção predomina um tipo de ocorrência ou ambas (distúrbios + problemas de casco). As sequelas de problemas de casco são mais graves, uma vez que acometem animais independentemente do estágio de lactação. Nos problema de locomoção (casco) o animal, ao ficar cada vez mais fraco (por se locomover cada vez menos e ingerir menos MS) entra num quadro de déficit nutricional e não há sorologia (tradicionais soros vitamínicos ministrados com doses de cálcio) que resolva a questão. A salvação pode estar na capacidade do animal em se alimentar. Nos casos de fraqueza como sequela de distúrbios metabólicos, a recuperação é ainda mais complicada pois o animal se locomove (lentamente), mas permanece muito tempo em pé, parado, sem consumir alimento ou água. Os distúrbios nutricionais são os mais complicados pois, definitivamente o animal deixa de ingerir alimento.

Bons profissionais (médicos veterinários, no caso), se estiverem na propriedade, muitas vezes conseguem diagnosticar o problema. A grande questão, no entanto, a meu entender não é acertar o diagnóstico. Na realidade, o mesmo (diagnóstico) não pode acontecer, ou seja, se você diagnosticou, é tarde demais. Detectou um problema que teria de ser sanado, evitado, anteriormente (precocemente).

Estratégias como manejo do período de transição, comprovadamente ajudam e amenizam problemas pós-parto. Uma dieta padronizada e de qualidade também é muito importante mas mesmo assim, a vacas continuam caindo, vez e outra. Alguns animais, aparentemente sadios em pleno pico de produção apresentam déficits de cálcio (pela elevada produção) e muitas vezes sofrem "quebras", "travas" ou "breaks" (como queiram classificar), subitamente. É necessário acompanhar estes animais e suplementar via Ca endovenoso.

Infelizmente, falhamos e nem sempre conseguimos diagnosticar todos os males a tempo. Por este motivo que a atividade encanta e vicia a todos os envolvidos. Cada caso, cada vaca, um motivo, uma razão diferente.

O fórum está aberto para complementos, colocações discussão e posicionamento sobre o tema:

"A vaca deitou e não levanta mais..."  E agora?!

Avalie esse conteúdo: (3 estrelas)

Comentários:

Junior

Goiânia - Goiás - Produção de gado de corte
publicado em 01/01/2012

Aproveitando o assunto, meu principal probelma são animais fracos no período de seca que atola em aguadas e não levanta. Sou pecuarista e Zootecnista e raramente conseguimos salvar alguma criação, Caso alquem tenha uma esperiencia a mais para compartilhar que possa ajudar, fico muito grato pelama ajuda.

COWTECH - CONSULTORIA E PLANEJAMENTO

Lençóis Paulista - São Paulo - Consultoria/extensão rural
publicado em 13/01/2012

Prezado Júnior,

As condições descritas por você não são ideais para se manejar gado de leite, principalmente se estiverem trabalhando com animais holandeses ou taurinos (europeus).

Não conheço sucesso em manejo de produção de leite com vacas em aguadas. No período pós-parto manejar vacas nessas condições, pelos problemas e desafios discutidos no post acima, certamente é uma temeridade.

Abraço!

Gabriella Riad Iskandar

Goiânia - Goiás - Estudante
publicado em 13/01/2012

´´A recomendação é o uso de medicamentos indicados em casos de esgotamento físico por parto, excesso de trabalho ou de produção, como os que contêm cálcio e fósforo de alta qualidade (biodisponibilidade), e também produtos à base de dextrose e complexos minerais e vitamínicos. Quando o animal é tratado e levanta-se  rapidamente, após poucos minutos, confirma-se a hipocalcemia (ou doença da
"vaca caída").``(SNA)

Gabriella Riad Iskandar

Goiânia - Goiás - Estudante
publicado em 13/01/2012

na realidade nao se é recomendado que o rebanho utilize de aguadas para saciar a necessidade de agua por varios motivos: a vaca evita ao maximo ter de beber agua, é muito desconfortavel ao animal pisar em barro e devido ao seu peso podem ocasionar lesoes musculares e de ligamentos caso esteja escorregadio. Outro fato é que aguadas podem ser fotes de patologias como por exemplo butolismo, alem de nao possuir qualidade para ingestao, ocasionando um grande despreendimento de energia para manter a saude do organismo animal. Se observarmos do ponto de vista legal, nao se é permitido acesso de animais a areas de preservação permanente, como rios, corregos e nascentes. Entao o ideal mesmo é o fornecimento de agua de qualidade em bebedouros ou manilhas, que terao um manejo sanitario adequado.

COWTECH - CONSULTORIA E PLANEJAMENTO

Lençóis Paulista - São Paulo - Consultoria/extensão rural
publicado em 09/03/2012

Prezado Júnior,

Os comentários da Gabriella são pertinentes e importantes. Obrigado, Gabriella pela interação e participação.

Recomendo que evite esse manejo inadequado. Se não tiveres condições de mudar os animais de local ou evitar que adentrem no "lamaçal", continuarás tendo problemas.

No período pós-parto a vaca encontra-se numa situação muito delicada. A produção de leite atua como um "dreno metabólico" ou seja, uma profusão de reações hormonais acontecem dentro do organismo destes animais e além disso, o consumo de alimento (matéria seca) é baixo e incompatível com seus requerimentos nutricionais. Isso faz que o animal entre num quadro de balanço energético negativo, ou seja, consome mais  energia do que consegue ingerir. O resultado é o consumo de reservas adiposas, por este motivo que a condição corporal no momento do parto deve ser de 3,5 a 3,75 na tradicional escala de "escore de condição corporal" (ECC). Por comer menos, seu sistema imunológico também fica debilitado e o animal se torna mais vulnerável a infecções. De mastite a quadros infecciosos no trato reprodutivo (útero), que são as tradicionais metrites, atrasando a recuperação do animal e debilitando-o mais ainda.

Conclusão: seu manejo deve ser eficiente, com correto balanceamento da dieta, com conforto. Fazendo o "tecnicamente correto" enfrentamos problemas. Disponibilizando lama ou qualquer outro adicional que venha a gerar desconforto e maior consumo de energia forma desnecessária, teremos mais problemas.

Pense bem no assunto.

Um abraço, até!    

JOSE MARCELINO DE LIMA

São Luís de Montes Belos - Goiás - Indústria de insumos para a produção
publicado em 27/09/2012

Jose Marcelin
S.Luiz de M.Belos
Zootecnista (Nurtrição e Produção animal)
=================================.
Caro colega, todos os colegas acima  tem suas rasões .
A mais de trinta anos trabalho com nutrição animal em gado de corte e leite.
Lembro -me como hoje ,em 1981 a 90. tínhamos uma grande dificuldade  em encontrar Sais minerais balanceados adequadamente dentro de exigências  nutricionais ,na verdade existia muitos pacotinhos,baldinhos,  e outros B -ós ,graças   a  muitos técnicos que se preocuparam com esses fatores  hoje podemos dizer que temos tudo ao nosso alcance para que isso não mais venha a acontecer. se nós  fizermos o que tem que ser feito com uma boa suplementação mineral, ( o custo mais baixo de um rebanho) ,dificilmente  teremos esses fatos, alem disso  lugar de gado  beber não é em córregos e aguadas,pois alem de  ser  anti ecológico ,vc estaria  expondo esses animais  a uma situação muito desconfortáveis,taxativamente  como disse aqui o nosso colega  Agrônomo é inconcebíveis que ainda existam causas  desse tipo. para concluir serei taxativo.(animal que vier deitar e  três dias  apos não levantar ) provavelmente levante sim... no bico de Urubus)  infelizmente.   

COWTECH - CONSULTORIA E PLANEJAMENTO

Lençóis Paulista - São Paulo - Consultoria/extensão rural
publicado em 27/09/2012

Prezado José Marcelino de Lima,

Obrigado pela participação e comentários.

Um abraço!

carlos a achy carneiro

Itambé - Bahia - comerciante/criador
publicado em 26/03/2013

o segredo é medicar a vaca logo que se perceber que ela esta muito magra [soro; calcio e vit b6 b12; digo soro. potenay. glucafoz podem fazer a diferença se aplicados antes da queda, e custam juntos menos de 40 reais

COWTECH - CONSULTORIA E PLANEJAMENTO

Lençóis Paulista - São Paulo - Consultoria/extensão rural
publicado em 28/03/2013

Prezado Carlos A. Carneiro,

Obrigado pela participação e contribuição.

Concordo com suas considerações e no meu rebanho procuro sempre proceder da forma como você pontuou: tratar, antes da queda. Em fazendas que prestamos assistência ou consultoria, recomendamos exatamente isso, mas sempre respeitamos  a  prescrição do médico veterinário que é nosso parceiro e nos ajuda nestes momentos.

É importante que todo veterinário, não residente elabore protocolos "de socorro" e "treine" o "olho clínico" de equipes de fazendas para que os medicamentos sejam ministrados na hora certa. Os profissionais que eu trabalhei sempre me orientaram dessa forma e muitos casos são solucionados dessa maneira.

Um abraço!

agnaldo bidini

Tangará - Santa Catarina - Distribuição de alimentos (carnes, lácteos, café)
publicado em 23/06/2013

Omeu boi tomou até soro. Maslevanta que é baõ. Nada

MARCO AURELIO BRITO

Goiânia - Goiás - Produção de leite
publicado em 03/10/2013

Oi pessoal, sou da área de humanas, mas como criador vou compartilhar minha recente experiência sobre o assunto.

Este ano já tive 4 casos de vacas que deitaram e não mais levantaram. Só na semana  passada foram 3 casos assim, em decorrência da viagem de uma fazenda para outra as 3 fizeram. Elas chegaram muito fracas.

Tentei de TUDO! Óleo canforado, soro, complexo vitamínico, levantei pelo U do trator, fiz massagem nas pernas, montei um girau, enfim, de tudo recomendado por profissionais, nada foi suficiente para reverter os quadros.

Com novilhas já vi raros casos em que elas conseguiram levantar, mas quando é vaca, a prática tem me ensinado que não existe remédio no mercado capaz de levantá-la. Não sei se isso teria alguma relação com o peso das vacas em geral ser maior e ser esta uma agravante para elas.

O que eu notei é que quando a gente colocava a vaca no girau ou suspendia pelo trator, elas não faziam questão nenhuma de firmar as patas no chão, parecia que estava fazendo "birra" que não queria ajuda...

Olha foi uma "peleja"! Fora o prejuízo do animal em si, além dos inúmeros remédios ministrados.

São fatalidades que estão sujeitas a ocorrerem, mas sinto que falta informação e estudo sobre o assunto. A gente acaba agindo muito no improviso e com base em informações de "senso comum".

Obrigado pelo espaço!  
   

COWTECH - CONSULTORIA E PLANEJAMENTO

Lençóis Paulista - São Paulo - Consultoria/extensão rural
publicado em 03/10/2013

Prezado Marco Aurelio Brito,

Agradecemos a sua participação neste debate.

Creio que não haja correlação nenhuma com o peso. Como discorrido e debatido por muitos neste fórum, diferentes razões e motivos podem levar os animais a não levantar.

Para animais gordos e sadios, que caem em transporte, pode haver, esgotamento, fadiga e/ou lesões, dependendo da distância e tempo de viagem.

Tenha certeza de que não há "birra" e sim incapacidade e/ou impossibilidade físca/mecânica/fisiológica para que uma vaca não levante mais.

O melhor remédio é a precaução o controle e bom manejo para que isso não aconteça.

Um  abraço!

Edna A.S. Ricken

Paranavaí - Paraná - Produção de leite
publicado em 11/12/2013

pois é aqui na nossa propriedade sempre passamos por esses problemas de vacas leiteiras que caem e não se levantam mais...procuramos todos os tipos de tratamentos possíveis ,,,mas como sempre em vão...isso faz com que desanimamos de continuar com gado leiteiro.

COWTECH - CONSULTORIA E PLANEJAMENTO

Lençóis Paulista - São Paulo - Consultoria/extensão rural
publicado em 11/12/2013

Prezada Edna A. S. Ricken,

De fato, quando temos problemas dessa natureza, ficamos desanimados. No entanto, antes de tomarmos qualquer decisão, precisamos conseguir avaliar e qualificar a natureza do problema. De um modo geral, produtores costumam classificar a atividade como "difícil". Isso é uma verdade, mas a auto-crítica e reflexão é fundamental.

Recomendo que verifique como é o seu manejo como um todo. Vacas não "caem", naturalmente. Existem "n" motivos que podem ser causadores do problema. Geralmente o manejo nutricional  e condições de conforto, oferecidas ao rebanho encabeçam a lista. Procure enumerar seus principais problemas. Posteriormente, consulte um especialista (uma consultoria qualificada) e debata os principais desafios da sua propriedade. Verás que o resultado da conversa pode ser surpreendente.

Estamos à sua disposição para ajudar, no que for possível.

Um abraço!

nelsomar pereira fonseca

Mutum - Minas Gerais - Produção de leite (de vaca)
publicado em 27/12/2013

Vaca que deita, não levanta, isto também acontece aqui.
O meu tratamento é bem simples, se tiver meia carne é frezzer, se tiver magra, vai para a cova, não gasto mais remédio, pois aprendi, alem da perda do animal, perco também o valor para recuperar o animal e o meu tempo.
Nelsomar Pereira Fonseca

Bruna

Tocantins - Minas Gerais - Produção de leite
publicado em 02/07/2014

Olá, hoje em minha propriedade fui preparar as vacas para começar a tirar o leite . No entanto uma vaca meio assustada , caiu de mau jeito no chão  e não consegue levantar ! Será que a unica solução é sacrificar?

JULIANO JOSE PEREIRA SABINO

Ubá - Minas Gerais - professor
publicado em 30/07/2014

Olá, meu nome é juliano, tenho algumas vacas para produção de leite somente para uso em minha casa. Nestes ultimos 20 dias uma situação me preocupou. Uma vaca deitou normalmente e não levantou mais. ela bebia água e cana, ruminava, só que não levantou e morreu. apos 15 dias outra que estava prenha criou o bezerro já morto e também ficou deitada, sem conseguir levantar, sem beber água e comer qualquer coisa. Foi neste domingo e a vaca ainda esta viva. já apliquei calcio e soro. será que pode ser algum tipo de doença?
abraços.

COWTECH - CONSULTORIA E PLANEJAMENTO

Lençóis Paulista - São Paulo - Consultoria/extensão rural
publicado em 30/07/2014

Prezado Juliano Sabino,

Sem estar presente e acompanhar o caso, obviamente, nosso diagnóstico tem grande chance de ser falho/errado. É necessário um posicionamento e informações sobre seu manejo, principalmente alimentar, como um todo. Algumas perguntas importantes:

a-) Vaca multípara ou primípara (primeira cria)?

b-) Período seco/duração (quantos dias vaca ficou seca)?

c-) Condição corporal da vaca no momento do parto (Escore/Classificação: 1 a 5)

d-) Alimentação: somente cana? concentrado não? quantidade e níveis da dieta?

Além de uma séria de outras informações importantes. Animal morto pode ter havido dificuldade e muito esforço no parto. Pode ter ocorrido esgotamento físico da vaca ou mesmo lesão na região da bacia, no momento do parto. Muitos veterinários entram com antibióticos e anti-inflamatórios no pós-parto (para estes casos), além de bom suporte endovenoso. Em muitos casos, apenas uma dose pode ser pouco. Para hidratação do animal, uso de solução oral como drench, pode ajudar muito (mas é necessário conhecimento para veiculação/fornecimento).

Nestes casos, busque ajuda profissional competente o mais breve possível.

Um abraço!

edivan sfalcin

Catuípe - Rio Grande do Sul - Produção de leite
publicado em 12/08/2014

alem deses itens sitados a um com maior relevansia que e tirar o leite ou o colostro apos o nasimento do terneiro  uma das praticas qepois do parto e fundamental   resolvi o problema da vaca se descalcificar ou deitar , foi nao ordenhar a vaca antes das trita e seis horas depois do parto fasan isto e verao o resultado obrigado e me respondam se tiveram suseso.

COWTECH - CONSULTORIA E PLANEJAMENTO

Lençóis Paulista - São Paulo - Consultoria/extensão rural
publicado em 12/08/2014

Prezado Edvan Sfalcin,

Fornecer colostro ao bezerro é muito interessante e fundamental para a sobrevivência deste animal, principalmente nas primeiras horas de vida, de modo que o mesmo receba anticorpos da mãe. Em termos de matriz, ajuda, sim a liberar ocitocina e liberação de placenta, mais rapidamente, em alguns casos.

Vacas podem deitar pós-parto por diferentes motivos e, no caso de multíparas (mais de um parto), sendo um animal de alta produção, em questão, pode haver febre do leite (hipocalcemia = falta de cálcio) e levar o animal a se deitar e não mais levantar.

Vacas devem ser ordenhadas depois do parto, o quanto antes possível, principalmente, se forem animais de alta produção. Uma vez fornecido colostro na quantidade de 1 a 2 litros, pelo menos na primeira hora ou segunda hora de vida, ajuda bastante. O Sr. menciona casos de pessoas que ordenham 36 horas após o parto? Medida altamente não recomendável.

Não podemos misturar conceitos. Metabolismo da vaca xs metabolismo do bezerro (demandas deste jovem animal). Vale ressaltar que um bezerro mais fraco, que não mama direito e uma vaca de alta produção indo para a ordenha 36 horas após o parto, com certeza, a sua  atitude de corrigir esse manejo (antecipando a ordenha) vai aliviar a vaca e reduzir problemas. No entanto os aspectos que levam vacas a se deitar e não se levantar mais podem ter diferentes e inúmeras razões a maioria delas associadas a problemas de afecções podais de lactações anteriores, casos generalizados de fraqueza e manejo de transição inadequado, metrites severas e mal tratadas, infecção generalizada, quedas (acidentes), febre do leite, entre outros.

Um abraço!

joaquim faria da rocha

Itumbiara - Goiás - Produção de leite
publicado em 14/08/2014

Me ocorreu esta semana que se iniciou perder duas reses e uma amanheceu prancheada ;furei um buraco escorei ela fincando um pau após deita-la direito em pouco tempo se levantava sozinha após esquentar  ,fiz isto durante tres dias .Ela passou a levantar sem a escora ,Uma que perdi não quis comer durante dois dias ,nem a ração durante a ordenha apliquei calcio e soro e vitamina B12 no outro dia não se levantou mais parece que bebeu agua demais ,estava com secreção nas ventas fedendo diarreia e pelotas de sangue nas fezes .Me disseram que poderia ser pneumonia ou ter sido ofendida por cobra com pouco veneno ,não ficou com o pelo arrepiado,estava com um peso bom .Choveu a semana passada durante tres dias seguidos e elas tomaram esta chuva e frio direto .Essas chuvas das flores das mangas ou as primeiras chuvas sei que sempre temos de tomar cuidado.

Mateus Morales Calve

Cajobi - São Paulo - Estudante
publicado em 14/08/2014

Prezado Cowtech Consultoria e Planejamento,

Gostaria de saber qual melhor manejo nutricional para que problemas metabólicos e de casco não atinjam as vacas no período seco e no pós parto? Quais métodos de manejo mais eficaz tanto no antes quanto no pós parto, haja visto que muitos inclusive eu tem dúvidas em como adotar medidas corretas de alimentação nessas fases.

Agradeço desde já, obrigado.

COWTECH - CONSULTORIA E PLANEJAMENTO

Lençóis Paulista - São Paulo - Consultoria/extensão rural
publicado em 14/08/2014

Prezado Mateus Morales Calve,

Problemas metabólicos durante o período seco são mais raros. Problemas dessa magnitude você terá, se forem oriundos da lactação antecedente ou problemas que possam surgir, na lactação subsequente, por conta de um mal manejo no período seco.

Se você tiver animais com uma nutrição inadequada, com excesso de energia e pouca fibra, no final de lactação, você corre o risco de supercondicionar essa vaca no final desta lactação, ou seja, escore superior a 4 (na escala de 1 a 5 para condição corporal). Neste caso, uma acidose ruminal pode acontecer e várias sequelas como laminite, por exemplo pode ocorrer. Como dietas no período seco são bem menos energéticas e protéicas, com mais fibra, a tendência é que esta vaca melhore seu ambiente ruminal, via maior produção de saliva e elevação de pH. Mesmo assim ela está acima do peso, o que não é interessante. Essa vaca tende a ter um parto mais difícil e as chances de voltar a claudicar no início da lactação aumentam. Por estar com muita gordura, pode ter excesso aumento de beta-hidroxibutiratos no sangue, e casos típicos de cetose (fígado gorduroso) que pode se manifestar de forma clínica ou subclínica. Da mesma forma, uma vaca que seja seca com baixo escore (muito magra) as sequelas serão terríveis no pós-parto e, se forem animais de alta produção (como holandesas selecionadas), eu diria que as chances de você perder uma vaca como essa em início de lactação ou ter problemas prolongados como metrites severas, aumentam.

Em outras palavras, o manejo nutricional no período seco, é muito simples. Deve fornecer uma dieta entre 12 a 13 % de PB e 1,35 a 1,47 Mcal/kg de MS nos primeiros de 60 a 30 dias pré-parto. Nos 30 dias antecendentes ao parto (30 a 0), pode aumentar um pouco a densidade dessa dieta, com 14 a 15% de PB e 1,50 a 1,55 Mcal/kg de MS. Deve fornecer uma dieta rica em fibra, apesar das nossas forrageiras apresentarem elevada concentração de potássio (K). Para sistemas mais intensivos e com condições de controle efetivo da nutrição (manejo/fornecimento), recomendo dieta aniônica, sempre, para os 30 dias que antecedem o parto e procuramos "negativar" essa dieta para controle de edemas de úbere e distúrbios pós-parto, também. Procuro núcleos com monensina, ricos em vitamina E, zinco (Zn) e selênio (Se). No pós-parto, se estiver trabalhando com animais de ponta deve atentar para risco de deslocamento de abomaso xs dietas ricas em carboidratos não-fibrosos. Mesmo o animal demandando muita energia no início de lactação, nos primeiros 30 dias, "acelero" essas vacas devagar, com dieta rica em fibra, mantendo o trato digestivo mais cheio (pois o consumo de MS é baixo nessa fase).

Dica: prepare bem sua vaca para chegar bem no momento da secagem. Faça nutrição controlada por técnico competente no período seco. Esteja atento no pós-parto. Muitos problemas irão desaparecer.

Havendo necessidade, conte conosco (www.cowtech.com.br)

Um abraço

(João Paulo)

Vicente Junior

Tatuí - São Paulo - CONSTRUÇÃO
publicado em 09/10/2014

Boa tarde tudo bem? Sou formado em medicina veterinária porém estou trabalhando em outra área. Eu tenho uma vaca que foi encontrada ontem com os 4 membros atolados num brejo, tiramos ela te tal situação e acreditamos que já estava lá a pelo menos 36 horas. levamos ela a outro local e estamos fazendo fluidoterapia com calcio, glicose, ferro e solução fisiológica além de analgésicos. o fato é que ela está gorda e só atolou devido ao local ruim onde até a gente atola o pé e é dificil de tirar. Agora ela tenta levantar, consegue apioar os membros posteriores mas os anteriores ela só apóia o joelho e não o casco. Ela come e bebe água, está bem. Não quero desistir, vou tentar fazer um cavalete e ajudar ela levantar. mas o que vocês acham? tem mais alguma coisa que eu possa tentar faazer? Desde já muito obrigado pela atenção, abraço
Att Vicente Junior

COWTECH - CONSULTORIA E PLANEJAMENTO

Lençóis Paulista - São Paulo - Consultoria/extensão rural
publicado em 09/10/2014

Prezado Vicente Junior,

Obrigado pela participação e considerações.

Os seu cuidados foram corretos, sob nosso ponto de vista. A essa altura, infelizmente, pouco resta o que fazer... O foco do artigo e nosso objetivo é trabalhar para que não venhamos a entrar nesse quadro clínico, pois as chances de recuperação são bastante baixas.

Cuido de vacas, diariamente e, infelizmente, vez ou outra lidamos com o quadro descrito por você. Não de vacas atoladas no brejo, mas sim, animais debilitados seja por queda de status imunológico, por distúrbios metabólicos, doenças entre outros. Quando chegamos nessa situação, pouco temos a fazer. Se o animal não responde, as chances de perda, infelizmente são grandes.

Boa sorte!

Um abraço!

Cássio Eduardo Dornelas da Silva

OUTRA - OUTRO - OUTRA
publicado em 15/10/2014

Bom dia!
Na segunda feira acordamos e uma vaca estava em processo de parto, mas parecia que sozinha não conseguiria. Então meu pai ajudou a novilha no processo do parto (Praticamente meu pai não fez nada).
O que ocorre é que a vaca não levantou mais. Na Segunda Feira entramos com soro glicosado, pois não tínhamos outro na fazenda. Na terça feira aplicamos sorovita e calcio e 10 ml de b1 e 10 ml de flunixina injetável.
A novilha esta se alimentando com silagem e ração e bebe agua normalmente (+-40 litros por vez).
Porém, ainda não consegue se elvantar, mas ela tenta, forçando as patas dianteiras, mas as traseiras não vão.
Ontem levantamos ela com ajuda de um trator, ela deu 3 passos e caiu novamente.
Hoje de manhã foi adminitrado os mesmos remédios que ontem e o veterinario receitou rupralan, valecalcio e um antibiotico (esqueci o nome), e pediu para aguardar 30 minutos a uma hora e levatnar a vaca novamente pra ver a reação dela.
O que me dizem? Devo tentar salvá-la ou já era?

COWTECH - CONSULTORIA E PLANEJAMENTO

Lençóis Paulista - São Paulo - Consultoria/extensão rural
publicado em 15/10/2014

Prezado Cássio Eduardo Dornelas da Silva,

O sintomas e quadro descrito por você são clássicos... Se há problema metabólico como febre do leite, a suplementação com cálcio é muito eficiente. No entanto, febre do leite em novilhas é bem menos comum. Apesar de ter parido, praticamente sozinha, a mesma pode ter ficado bastante deprimida e/ou muito cansada. A condição corporal do animal (que reflete a força do mesmo para criar), principalmente no caso de novilhas, é fundamental.

Da nossa experiência, em alguns casos com animais com pouca dilatação e estrutura óssea (bacia) menos desenvolvida, podemos ter partos traumáticos, com lesões subclínicas. A medicação creio que esteja ok, mas o fato é que animais que permanecem deitados por 12 horas e se levantam, costumam se recuperar. Animais que permanecem, 24 horas ou mais deitados é bem complicado. Nós olhamos p/ vaca e, aparentemente, ela está ok, mas algo não vai bem e, dentro da minha experiência, associo esse quadro a lesão traumática no parto... O diagnóstico in loco já é complexo. Por internet...

O ideal seria manter seu técnico/profissional em acompanhando esse quadro de perto, dentro do possível.

Um abraço!

João Paulo V. Alves dos Santos
Eng° Agrônomo/Cowtech-Consultoria

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes

Enviar comentário

Copyright © 2000 - 2014 AgriPoint Consultoria Ltda. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade