Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Leite & Mercado > Giro Lácteo

NZ: Fonterra abre novas plantas na Ilha do Sul

postado em 04/03/2016

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A cooperativa neozelandesa Fonterra abriu oficialmente quatro novas plantas na Nova Zelândia na Ilha do Sul. Uma das plantas fica em Clandeboye e outras três em Edendale. O diretor gerente de operações globais da Fonterra, Robert Spurway, disse que essas expansões geram dinheiro não somente para os 10.500 produtores da cooperativa, mas também, ajudam nas economias rurais e regionais.



“O investimento em processamento de lácteos em cidades como Clandeboye e Edendale apoia a mão de obra da indústria de lácteos local, traz oportunidades aos comércios, consultores e contratantes e tem um efeito de fluxo para uma série de negócios locais”.

Mais de 60 novos empregos em período integral foram criados, além de empregar milhares de funcionários para a construção das plantas. Spurway disse que além dos benefícios de longa duração que essas expansões têm nas comunidades locais, elas ajudam a Fonterra a prosseguir com sua estratégia de permitir que a cooperativa transforme mais leite em produtos com maiores retornos.

A expansão em Edendale foi formalmente aberta pelo vice-primeiro ministro, Bill English, com mais de 200 pessoas presentes, incluindo os produtores da Fonterra, bem como os funcionários, e representantes do governo local e central. Os ministros Steven Joyce e Jo Goodhew estiveram presentes para cortar o laço na nova planta de muçarela em Clandeboye, que chamaram de “a joia da coroa” devido à sua capacidade de agregar maior valor ao leite.

O diretor da Fonterra, Leonie Guiney, que participou dos dois eventos, disse que as expansões já contribuíram para a melhora no desempenho da Fonterra no primeiro trimestre do ano fiscal. “Nossas novas plantas permitiram que nossa cooperativa evitasse ter custos adicionais no pico da atual estação. Estamos alcançando maiores rendimentos. A qualidade e a flexibilidade para variar nosso mix de produtos está permitindo que obtenhamos margens acima dos preços prevalentes de mercado”, disse Guiney.

As informações são do Dairy Reporter.

 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2016 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade